Vereadora propõe lei que obriga comércio a fornecer sacolas biodegradáveis

Projeto de Cida Garcêz (SD) pretende diminuir a quantidade de sacolas feitas com derivados de petróleo em Goiânia e aumentar o recolhimento da coleta seletiva

| Foto: Câmara dos Vereadores

Vereadora acredita em uma verdadeira mudança cultural em relação à coleta de lixo | Foto: Câmara dos Vereadores

A vereadora Cida Garcêz criou um projeto de lei que determina que os estabelecimentos comerciais de Goiânia forneçam sacolas biodegradáveis aos clientes. O projeto já foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Vereadores e deve ser analisado no plenário na próxima terça-feira (18/08) em primeira votação.

Segundo o projeto, os comerciantes deverão fornecer sacolas verdes e cinzas. Como o intuito do projeto é que o consumidor utilize as sacolas não só para carregar suas compras, mas também para fazer o descarte de lixo, a vereadora espera que cada uma delas seja usada para uma finalidade. As verdes servirão para o lixo reciclável, recolhido pela coleta seletiva, e as cinzas para o lixo orgânico.

Assim, a quantidade de sacolas de derivados de petróleo – que levam anos para se decompor no meio ambiente -pode ser reduzida e o volume de material recolhido pela coleta seletiva aumentado. O projeto prevê multa de R$ 1 mil para quem descumprir a lei e R$ 3 mil em caso de reincidência. Ficará sob responsabilidade da Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma) a fiscalização dos estabelecimentos.

Para Cida, o projeto é uma forma de promover uma verdadeira mudança cultural. “É um projeto que busca tirar um costume totalmente prejudicial ao meio ambiente”, pontua ela. A vereadora admite que esta transição não é um processo simples, mas afirma que “haverá um período de adaptação antes que a população se acostume com a ideia e também perceba o benefício de fazer o descarte correto do lixo”.

 

Deixe um comentário