Vereador pede fiscalização sonora no festival Villa Mix

Romário Policarpo solicitou que a Amma suspenda o evento, “caso não esteja dentro do que estabelece a lei”

foto: Divulgação

O vereador Romário Policarpo (PTC), em requerimento enviado à Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), pediu que o órgão providencie a fiscalização sonora da Arena de Shows do festival Villa Mix, que acontece neste sábado (1/7) e domingo (2). O político pediu ainda que o evento seja suspenso, “caso não esteja dentro do que estabelece a lei”.

Policarpo ocupou a tribuna da Casa na sessão desta quinta-feira (29/6), para justificar seu pedido e falou sobre os incômodos provocados por alguns eventos que acontecem na capital, como por exemplo, o Villa Mix e  a Exposição Agropecuária, que, segundo ele, são motivo de constantes reclamações por parte dos moradores da região.

O parlamentar argumenta que a medida é de grande interesse social, pois cumprirá o que determina o Código de Posturas de Goiânia,que prevê os limites da poluição sonora.

“O estacionamento do Estádio Serra Dourada, local onde ocorre o evento, é cercado por uma grande zona residencial e segundo consta, os shows do Vila Mix têm ultrapassado os limites legais , provocando poluição sonora e  acarretando transtornos e desconforto aos moradores das proximidades do Estádio,” afirmou Policarpo.

O vereador aproveitou ainda para criticar o valor pago à Prefeitura pelos realizadores do evento, que é calculado, segundo ele, em estimativa que gera um total de “apenas  R$ 200 mil”. O vereador defende que o valor a ser cobrado seja com base no número de pagantes registrados nas  catracas.

Debate

Vários vereadores defenderam a realização da festa alegando os benefícios gerados ao município, através da ocupação hoteleira e de movimentação nos bares e restaurantes, trazendo lucro para o comércio da Capital.

Segundo o vereador Milton Mercês (PRP), “se a Prefeitura não está fazendo a devida arrecadação , a falha é dela e não da festa,  que gera renda e emprego”. Zander Fábio (PEN) lembrou que “a realizadora do evento é a única multinacional sediada em Goiânia”. Já Sabrina Garcêz (PMB) afirmou que “não podemos criminalizar o festival, porque traz muitos benefícios para a cidade”.

Policarpo rebateu os colegas lembrando que quer apenas o cumprimento da lei, evitando transtornos e incômodos aos moradores dos arredores do estádio. “O que cobramos é que a lei que se aplica aos pequenos seja estendida também aos grandes”, defendeu.

2 respostas para “Vereador pede fiscalização sonora no festival Villa Mix”

  1. Avatar Julia salomao disse:

    Vereador Policarpo, será que vc cumpre leis, regras com seriedade?
    Me poupe e poupe as pessoas que pagaram para assistir um dos melhores show do mundo..Trabalhe no que interessa a população. Vá cobrar do seu prefeito que ele se torne um verdadeiro gestor. Deixe o povo que já sofrido, curta o show maravilhoso acontecendo agora é amanhã. Vc já deve ter sido jovem ou é jovem (não o conheço) mas com certeza é um careta.

  2. Avatar Marcos disse:

    Cambada de bagunceiro filho da puta… não basta eles ouvirem merda, ainda querem obrigar os outros a ouvir também… pouca vergonha, nada que um sacode bem violento não resolva… cambada de boy pau no cú, vai ouvir musica alta la no puteira onde vcs nasceram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.