Vereador pede fiscalização sonora no festival Villa Mix

Romário Policarpo solicitou que a Amma suspenda o evento, “caso não esteja dentro do que estabelece a lei”

foto: Divulgação

O vereador Romário Policarpo (PTC), em requerimento enviado à Agência Municipal de Meio Ambiente (Amma), pediu que o órgão providencie a fiscalização sonora da Arena de Shows do festival Villa Mix, que acontece neste sábado (1/7) e domingo (2). O político pediu ainda que o evento seja suspenso, “caso não esteja dentro do que estabelece a lei”.

Policarpo ocupou a tribuna da Casa na sessão desta quinta-feira (29/6), para justificar seu pedido e falou sobre os incômodos provocados por alguns eventos que acontecem na capital, como por exemplo, o Villa Mix e  a Exposição Agropecuária, que, segundo ele, são motivo de constantes reclamações por parte dos moradores da região.

O parlamentar argumenta que a medida é de grande interesse social, pois cumprirá o que determina o Código de Posturas de Goiânia,que prevê os limites da poluição sonora.

“O estacionamento do Estádio Serra Dourada, local onde ocorre o evento, é cercado por uma grande zona residencial e segundo consta, os shows do Vila Mix têm ultrapassado os limites legais , provocando poluição sonora e  acarretando transtornos e desconforto aos moradores das proximidades do Estádio,” afirmou Policarpo.

O vereador aproveitou ainda para criticar o valor pago à Prefeitura pelos realizadores do evento, que é calculado, segundo ele, em estimativa que gera um total de “apenas  R$ 200 mil”. O vereador defende que o valor a ser cobrado seja com base no número de pagantes registrados nas  catracas.

Debate

Vários vereadores defenderam a realização da festa alegando os benefícios gerados ao município, através da ocupação hoteleira e de movimentação nos bares e restaurantes, trazendo lucro para o comércio da Capital.

Segundo o vereador Milton Mercês (PRP), “se a Prefeitura não está fazendo a devida arrecadação , a falha é dela e não da festa,  que gera renda e emprego”. Zander Fábio (PEN) lembrou que “a realizadora do evento é a única multinacional sediada em Goiânia”. Já Sabrina Garcêz (PMB) afirmou que “não podemos criminalizar o festival, porque traz muitos benefícios para a cidade”.

Policarpo rebateu os colegas lembrando que quer apenas o cumprimento da lei, evitando transtornos e incômodos aos moradores dos arredores do estádio. “O que cobramos é que a lei que se aplica aos pequenos seja estendida também aos grandes”, defendeu.

2
Deixe um comentário

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Julia salomao

Vereador Policarpo, será que vc cumpre leis, regras com seriedade?
Me poupe e poupe as pessoas que pagaram para assistir um dos melhores show do mundo..Trabalhe no que interessa a população. Vá cobrar do seu prefeito que ele se torne um verdadeiro gestor. Deixe o povo que já sofrido, curta o show maravilhoso acontecendo agora é amanhã. Vc já deve ter sido jovem ou é jovem (não o conheço) mas com certeza é um careta.

Marcos

Cambada de bagunceiro filho da puta… não basta eles ouvirem merda, ainda querem obrigar os outros a ouvir também… pouca vergonha, nada que um sacode bem violento não resolva… cambada de boy pau no cú, vai ouvir musica alta la no puteira onde vcs nasceram