Peemedebista diz que Iris ainda não confia em nenhum vereador para liderança

Questionado se demora na escolha não representaria descaso com a Câmara, Clécio Alves negou. Para ele, no entanto, é preciso agilidade para definir esta questão

O vereador Clécio Alves (PMDB) acusou, em entrevista ao Jornal Opção, a oposição ao prefeito Iris Rezende (PMDB) de tentar impedir a tramitação do projeto de refinanciamento das dívidas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e ao Imposto Territorial Urbano (ITU). Ele admitiu, no entanto, que a falta de uma base consistente e de um líder também contribuem para que o projeto não avance na casa.

“A oposição tem o papel institucional que cabe a ela e aqui não seria diferente, agora o que está acontecendo é que tem feito o trabalho de obstacular os trâmites das matérias do governo e muitos vereadores que se dizem base estão fortalecendo essas ações da oposição”, afirmou ele.

Questionado sobre a base e a liderança, Clécio concordou que ainda não é possível dizer quem realmente faz parte do grupo de Iris, mas negou que a culpa da falta de articulação seja do peemedebista. “Não é culpa do prefeito, é uma ação que depende dos dois poderes”, justificou ele.

Sobre o fato de Iris não ter um líder supostamente indicar descaso do prefeito em relação à Câmara, Clécio discordou. Para ele, a demora se deve ao fato de que o prefeito ainda não tem confiança necessária em vereador algum para convidá-lo. Apesar disso, o parlamentar concordou que é preciso agilidade para definir estas questões.

“Em breve teremos outras matérias de grande importância e precisamos saber com quem o prefeito pode contar ou não”, disse ele. Só depois, pontua, é que será possível definir a liderança. “Eu jamais quero ser líder para liderar ninguém”, ironizou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.