Vereador diz que faixa não foi colocada na porta ou muro do Cmei, mas na casa de um morador

Ele também afirma que houve um desentendimento entre diretora e assessor, que foi exonerado por ter agredido servidora

Faixa que gerou o desentendimento e posterior agressão do assessor contra diretora | Foto: Assessoria Paulo Magalhães

Após um assessor do vereador Paulo Magalhães ter agredido a diretora do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) do Buena Vista, Keilly Mágila, o parlamentar decidiu contar sua versão da história. O servidor responsável pelo ato foi exonerado.

Segundo Paulo, durante uma Frente de Serviço realizada pela Prefeitura de Goiânia no Residencial Buena Vista I, ele solicitou ao prefeito Iris Rezende (MDB) que fossem criadas duas praças no setor. Mediante a autorização, o municipal conta que passou a cobrar da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) a execução das obras.

Ele ainda relata que, quando foram iniciadas, passou a acompanhá-las de perto. Na última semana, então, um líder comunitário teria confeccionado uma faixa e pedido ajuda do vereador para fixá-la, já que ele não tinha escada.

Foi quando Paulo enviou o servidor, seu assessor, para o local. O acordo era de colocar a faixa em uma residência em frente ao Cmei Buena Vista. Ele garante que havia autorização do dono da casa para isso. “Em nenhum momento foi colocada faixa na porta ou no muro do Cmei”, assegurou.

Entretanto, de acordo com a assessoria do vereador, houve um desentendimento entre a diretora e o assessor, que resultou na agressão. O agressor foi imediatamente afastado pelo político.

Na tarde de quarta-feira, 13, o assessor de Paulo Magalhães agrediu a diretora do Cmei Buena Vista, após ela tê-lo impedido de colocar uma faixa em um muro da unidade educacional. A servidora, que segundo relatos de testemunhas, teria sido jogada contra um muro e chutada, foi atendida no Samu e faria denúncia na Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (Deam).

“Todas as providências foram tomadas, a Justiça vai resolver e me coloco à sua disposição”, disse o parlamentar, direcionando-se à servidora da Educação Municipal. Ele também lamentou o ocorrido e disse não compactuar “com qualquer atitude dessa natureza”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.