Vereador diz que condenado na Lava Jato tem ‘carta branca’ em Goiânia e critica interferência do Republicanos

Segundo Ronilson Reis, cúpula nacional do Republicanos enviou Vanderley Tavares como “emissário” à Goiânia para promover as mudanças que entender como necessárias. No entanto, parlamentar afirmou que, no passado, Vanderley operacionalizou propinas no Rio de Janeiro. “Ele é que fazia toda a maracutaia”, disparou

Ronilson Reis: vereador eleito pelo Podemos | Foto: Divulgação

O vereador Ronilson Reis (Podemos) usou a tribuna, durante a sessão desta terça-feira, 23, para criticar o protagonismo da alta cúpula do Republicanos na gestão municipal encabeçada por Rogério Cruz, em Goiânia. Ele aproveitou também para fazer uma “revelação bombástica” a respeito do emissário que está “ditando as cartas” no Executivo.

“Muitos vereadores não possuem conhecimento do que está acontecendo nos bastidores do Paço Municipal”, disse o vereador da tribuna. Em seguida, completou: “O presidente Nacional do partido, Marcos Pereira nomeou um senhor chamado Vanderley Tavares, que é presidente do Republicanos de Brasília, para que viesse até Goiânia e fizesse as mudanças que entendesse como necessárias no Paço Municipal”.

Em outro trecho do discurso, Ronilson enfatizou o histórico de Vanderley tido por ele como “emissário” da direção nacional do partido. “Esse Vanderley é um denunciado na Lava Jato do Rio de Janeiro. Ele é quem operacionalizava as propinas na prefeitura do Rio. Ele que fazia toda a maracutaia. E tem mais: foi denunciado pelo Ministério Público Federal e condenado a 21 anos de cadeia. O processo está em fase de recurso, mas já é condenado. Esse é o enviado do Republicanos nacional. A quem interessa esse cidadão vir operar na cidade de Goiânia?”, indagou.

Segundo o vereador, Vanderley seria o grande responsável pelas mudanças promovidas recentemente no alto escalão das secretarias municipais.

Contraponto

Após o pronunciamento do vereador, o líder do prefeito, vereador Sander Júnior (PP), pediu a palavra para comentar o assunto. “Que atire a primeira pedra quem não tem nos quadros do seu partido uma pessoa que está sendo investigada ou até condenada; que não é o caso que o vereador transcreveu sobre o senhor Vanderley”, disse na abertura do discurso.

Em seguida, Sandes colocou que “Vanderley não faz parte dos quadros da prefeitura de Goiânia, ele faz parte dos Republicanos”. E continuou: “pegar um filiado do partido e querer crucificar a administração por esse filiado não é justo. Ele está sentado à direita ou à esquerda do prefeito? Não. Todos os partidos têm investigados, nem por isso vamos denegrir a imagem desses partidos”.

O vice-líder do governo na Casa, Anselmo Pereira (MDB) também usou a tribuna para sair em defesa do prefeito Rogério Cruz. “Convivi com o prefeito por oito anos aqui nesta Casa. Conheço perfeitamente sua índole. Quis o destino que ele chegasse à prefeitura de Goiânia. Será que agora irá mudar seu comportamento humano e político?, indagou.

Direcionado ao vereador Ronilson Reis, que trouxe a discussão à tona, disparou: “Seu pronunciamento merece o exercício da reflexão, mas eu não poderia deixar de defender o prefeito, sua seriedade e compromisso. No entanto, acredito que aquele que critica deva trazer também, no bojo de sua crítica, a solução para o problema”, finalizou.

Em nome da sigla

Já o líder do Republicanos na Casa, vereador Isaias Ribeiro destacou que há, na fala de Ronilson, uma mistura de preconceitos: “Se mistura sigla, com igreja e religião. E continuou: “O Republicanos é um partido sério. Se a direção do partido tomou uma atitude é porque sabe o que está fazendo. Não devemos ser precipitados. A justiça está ai, que seja feita. Sabemos que o prefeito é um homem de família e de responsabilidade. Esteve nessa Casa durante oito anos e não é agora que terá uma má conduta”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.