Vereador defende municipalização do transporte coletivo em Goiânia

Romário Policarpo (PTC) diz que Prefeitura de Goiânia poderá deliberar melhor sobre as demandas locais

Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

Rafaela Bernardes

Vereador por Goiânia pelo PTC, Romário Policarpo é um dos parlamentares que integram a Comissão Especial de Inquérito do Transporte Coletivo (CEI) na Casa e também um dos defensores da municipalização do transporte público na capital. Categórico, o vereador afirma que a prefeitura não pode resolver o problema do transporte de passageiros em Goiânia.

“Não adianta o prefeito Iris Rezende (PMDB) prometer que vai mudar e que vai resolver o problema do transporte coletivo se ele não tem poder para isso. Quem toma as decisões sobre o transporte coletivo de Goiânia e da região metropolitana é a Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos (CDTC), onde temos apenas dois votos. Do jeito que está não teremos melhoras”, explanou.

Presidida pelo prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (PMDB), a CDTC é composta por 11 integrantes, entre membros de prefeituras, governo, Assembleia Legislativa e Câmara Municipal. A Câmara é responsável por estabelecer as políticas públicas de planejamento, gerenciamento, controle e fiscalização dos serviços prestados pelas empresas que prestam o serviço de transporte público.

Para o vereador, Goiânia deveria ter o poder de decidir sobre as demandas locais. “Defendo uma municipalização onde Goiânia seja a responsável pelas decisões das linhas que atendem exclusivamente a capital. Assim, a gestão municipal poderia decidir sobre a quantidade de linhas de ônibus, a quantidade de veículos rodando,o valor da passagem, rotas e outras decisões. Atualmente somos totalmente coordenados pela CDTC”, explicou Policarpo.

Para as linhas intermunicipais, aquelas que ligam mais de uma cidade, Romário defende que a gestão continue sendo realizada pela Câmara. A proposta do parlamentar é de uma gestão compartilhada, onde a prefeitura de Goiânia gere as linhas intra municipais e a CDTC cuida das linhas intermunicipais.

Sobre possíveis gastos da administração municipal com a gestão do transporte público da capital, o vereador diz ter a solução.

“Atualmente a CDTC recebe 1% de tudo que é arrecadado pelas empresas que operam no transporte coletivo de Goiânia, Aparecida e da região metropolitana. Desse montante, 70% vem da prefeitura de Goiânia, mas esse dinheiro está sendo usado também para as outras cidades. Se municipalizar o dinheiro fica todo na capital, e aí a prefeitura conseguiria gerir sem custo nenhum”, finalizou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.