Vereador de Inhumas afastado em operação da PC alega inocência e perseguição política

Bruno Braz, presidente da Câmara Municipal, ficará afastado das suas funções por 30 dias

Presidente da Câmara Municipal de Inhumas, vereador Bruno Braz. Foto: Reprodução.

Afastado por causa das investigações da Operação Big Boss, o presidente da Câmara Municipal de Inhumas, vereador Bruno Braz, alegou ser inocente e que a ação é fruto de perseguição política. A operação investiga fraude em licitação, corrupção passiva, corrupção ativa e associação criminosa.

“Acredito que tudo será devidamente esclarecido e minha inocência comprovada e que a perseguição política por parte de quem muito fala e pouco faz, tenha também um fim, pois o povo saberá de fato, quem verdadeiramente trabalha por Inhumas” disse o vereador em nota.

Bruno Braz ficará afastado das suas funções por 30 dias. Outro vereador e a diretora da Câmara também foram afastados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.