Vereador de Goiânia compara Reforma da Previdência à lei da época da escravidão

GCM Romário Policarpo (PTC) defende que a Câmara edite uma moção de repúdio ao projeto que tramita no Congresso Nacional

Romário Policarpo quer que a Câmara Municipal encaminhe moção de repúdio à PEC 287| Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

No mesmo dia em que milhares de pessoas vão às ruas em todo o Brasil em protesto contra a Reforma da Previdência proposta pelo governo federal, o vereador de Goiânia GCM Romário Policarpo (PTC) usou de tempo na tribuna na manhã desta quarta-feira (15/3) para externar seu repúdio às mudanças em discussão.

Ele chegou a comparar Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16 à Lei do Sexagenário, promulgada em 1885, que concedida liberdade a todos os escravos com mais de 65 anos. O discurso do vereador faz referência a um dos pontos mais polêmicos da reforma, que fixa a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de homens e mulheres, com contribuição mínima de 25 anos.

“Nós como vereadores, os representantes mais próximos da população, precisamos nos posicionar em prol dos trabalhadores”, disse o parlamentar, ao defender que o Legislativo Municipal encaminhe ao Congresso Nacional uma moção de repúdio ao texto. “Vamos ser a primeira Casa de Leis a mandar para o congresso o nosso pronunciamento de rejeição à Reforma da Previdência”, finalizou.

A PEC 287 é analisada por comissão especial na Câmara dos Deputados e já recebeu 140 propostas de emendas ao teor original.

Além da idade mínima, outros pontos que os deputados pretendem alterar são as regras para a concessão do Benefício de Prestação Continuada (BPC), o fim das aposentadorias especiais, como a de professores e pessoas com deficiência, a questão do não acúmulo de aposentadorias e as alterações para a concessão da aposentadoria rural.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.