Vereador da base critica demora na escolha de presidente da CMTC

Alysson Lima (PRB) apresentou requerimento para que o responsável pela companhia vá à Câmara Municipal prestar esclarecimentos sobre a qualidade do transporte na capital

Alysson Lima (PRB) convida presidente da CMTC a prestar esclarecimentos na Câmara Municipal | Foto: Fernando Leite Jornal Opção

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) é o único órgão da prefeitura que segue sem comando. Mais de um mês depois de tomar posse, o prefeito Iris Rezende (PMDB) ainda não nomeou um presidente para a empresa pública responsável pelo gerenciamento do transporte em Goiânia.

Para o vereador eleito pelo PRB, Alysson Lima, isso compromete ainda mais a situação do usuário. “Não há dúvida que a demora prejudica a situação. As pessoas estão revoltadas com a situação do transporte […] Embora seja da base do prefeito, o meu compromisso é com a população, que espera respostas”, disse.

Lima apresentou na Câmara Municipal, na semana passada, um requerimento convidando o presidente da CMTC para que compareça a um sessão para dar explicações sobre a qualidade, a frequência e os contratos do transporte coletivo na região metropolitana, bem como o que pode ser feito para melhorar a situação.

“O convite foi apresentado e não acredito que o responsável pela CMTC vá se negar a estar aqui. Não é uma convocação, então não existe obrigação, até porque estamos em início de mandato e nem sabemos se o responsável hoje ficará no cargo, mas é um demanda muito grande da sociedade, tenho certeza que a CMTC não vai se negar”.

Segundo Alysson Lima, parte dos ônibus estão parados mesmo em horário de pico e a população também reclama da condição dos terminais. “Nos últimos dias, verificamos que apenas 900 ônibus, de uma frota de 1370 veículos, estavam circulando em horário de pico. Isso sem falar na questão da qualidade do serviço dos terminais  outros dia fui ao terminal da Praça da Bíblia e vi uma situação desumana por lá. Não tem banheiros suficientes e os que existem estão decadentes. O espaço não é adequado, a acessibilidade é terrível. Isso foi o que verificamos em apenas um terminal”, lamentou.

Ainda de acordo com o vereador, outra grande reclamação de quem utiliza o transporte coletivo em Goiânia é a precariedade do monitoramento dos veículos em tempo real, o que impede uma precisão dos horários dos ônibus.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.