A proposta do Governo Estadual em deixar decisões sobre a temática apenas para o município gerou reações contrárias na Câmara

Vereador Denício Trindade | Alberto Maia/Câmara de Vereadores

O plenário da Câmara Municipal de Goiânia esteve, nesta terça, 26, sob discursos inflamados a respeito da  intenção do governador Ronaldo Caiado (DEM), em deixar de participar da Câmara Deliberativa do Transporte Coletivo (CDTC) e Companhia Municipal de Transporte Coletivo (CMTC). O vereador Denício Trindade (SD) afirmou ao Jornal Opção que já movimenta requerimento solicitando a permanência do Estado.

O líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado estadual Bruno Peixoto (MDB), disse que o governo entende que essa é uma competência exclusiva dos municípios e que definir tarifa não é atribuição do Estado e, por isso, a proposta de deixar os dois órgãos que deliberam sobre o transporte coletivo da região metropolitana, deixando as cadeiras apenas com o município.

Entretanto, segundo o vereador Denício Trindade a participação do Governo Estadual é de suma importância. Para o parlamentar o transporte público sendo da região metropolitana não pode ser de tutela apenas dos municípios, sendo necessária a participação estadual para buscar melhorias para os usuários do transporte goiano. “Ele não pode fugir disso”, disse o vereador se referindo a Ronaldo Caiado.

Segundo Denício Trindade uma comissão para tratar sobre o assunto com o secretário de governo, Ernesto Roller, será criada. Ele adiantou ainda que um requerimento que sugere a revisão da proposta do governo foi assinada por 20 parlamentares que estavam presentes na seção desta terça-feira, 26.