Vereador critica proposta de Iris de municipalizar água: “Deve voltar atrás”

Revisão do contrato do município com a Saneago voltou a ser ventilado diante da crise hídrica que vive a Região Metropolitana de Goiânia

Vereador Gustavo Cruvinel (PV) | Foto: Alberto Maia / Câmara Municipal

 

Em meio à crise hídrica que assola a cidade de Goiânia e região metropolitana, o vereador Gustavo Cruvinel (PV), presidente da recém instalada Frente Parlamentar de Proteção, Conservação e Recuperação do Rio Meia Ponte da Câmara Municipal de Goiânia, criticou a possibilidade de municipalização da água na capital, ventilada pelo prefeito Iris Rezende (PMDB).

“Acho que ele vai rever essa ideia, assim como voltou atrás na questão das subprefeituras. Não tem capacidade de resolver problemas primários de Saúde, e Educação, não vai ter condições de resolver o problema de abastecimento”, disse o vereador.

Promessa de campanha do prefeito em 2016, a ideia de rever o contrato de concessão de serviços de água e esgoto sanitário de Goiânia à Saneago tinha sido aparentemente abandonada, mas voltou à pauta esta semana diante da crise hídrica que vive a capital e cidades da região metropolitana.

Para o vereador, o problema da água deve ser tratado pelo viés da preservação ambiental e conscientização da população. “Não vamos apenas cobrar do governo. As população também precisa se conscientizar, entender a importância da preservação dos recursos naturais”, disse.

Os primeiros trabalhos da Frente Parlamentar do Meia Ponte serão no sentido de investigar possíveis irregularidades na captação de água no leito do rio, além de fiscalização de empresas que possam estar jogando dejetos no rio e desmatamento da mata ciliar

Além de Cruvinel, compõem a frente parlamentar os vereadores Paulo Magalhães (PSD), vice-presidente, Lucas Kitão (PSL), secretário, Delegado Eduardo Prado (PV), Léia Klébia (PSC), Emilson Pereira (Podemos) e Sabrina Garcêz (PMB).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Ziro

Está na hora do País começar os estudos de dessalinização de água do mar. Litoral nordestino possui perfeitas condições, pois há possibilidades de energia eólica para o sistema.