Vereador critica implantação de Área Azul em Caldas Novas. Entenda

De acordo com parlamentar, prefeitura firmou contrato de terceirização para implantação da cobrança e ficará com apenas 18% da arrecadação bruta

Foto: Reprodução

A Câmara Municipal de Caldas Novas aprovou, no ano de 2016, um projeto de lei que autoriza o Executivo municipal a implantar a Área Azul em determinadas ruas da cidade. O serviço implica na cobrança de estacionamento para veículos parados em vias públicas. Desde então, a prefeitura articula para colocar em prática o funcionamento do serviço no município. 

Acontece que alguns detalhes do processo de implantação têm chamado atenção dos parlamentares, especialmente do vereador Rafael Moraes que, em entrevista ao Jornal Opção, reportou algumas “deficiências” do processo.

O principal deles, segundo ele, é o percentual de arrecadação que será destinado aos cofres do município: 18%. Acontece que a prefeitura firmou um contrato de terceirização para implantação da cobrança . De acordo com o vereador, a própria prefeitura poderia executar as modificações necessárias e realizar a taxação dos veículos. A expectativa de arrecadação chega próximo a R$ 1 milhão por mês, porém, deste valor, apenas 18% ficará com a prefeitura. O restante ficará com a empresa. 

“Não é como um pedágio onde a contratada realiza uma série de investimentos. Pelo contrário, o custo é quase zero. Basta fazer a pintura das faixas e instalação das placas nos locais determinados. Apesar disso, a empresa ficará com 82% do valor bruto recebido”, lamentou o  parlamentar. 

Outra queixa de Moraes é que o Estudo de Impacto de Vizinhança (EIT) não foi realizado. “É preciso conversar com os vizinhos, saber a logística desse trabalho”, criticou. 

Ele também lembrou que Caldas não possui transporte público e a implantação das taxas de estacionamento poderão prejudicar os trabalhadores da região central. “Muitos se deslocam até o trabalho com seus próprios veículos. Não será fácil custear essa cobrança que, por sinal, é a mais cara do Brasil”, explicou. 

Por fim, Moraes lamentou o fato da prefeitura abrir mão de um valor tão expressivo da arrecadação bruta. “Essa quantia certamente fará falta, haja vista que essa quantia poderia ser utilizada para investimentos em Saúde, Educação e  Segurança”, pontuou.

Segundo o parlamentar, a Câmara Municipal de Caldas Novas protocolou um requerimento assinado por todos os vereadores onde reivindicam a suspensão da implantação da Área Azul até que todos os pontos do contrato sejam esclarecidos. 

O Jornal Opção tentou contanto com a prefeitura de Caldas Novas, via gabinete do prefeito, no entanto, até a publicação desta reportagem não houve retorno. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.