Vereador acusa prefeito de ter atirado contra sua casa

No momento dos disparos, estavam na residência dois filhos do legislador, além de sua sogra e cunhada

Dock Júnior e Francisco Costa

O vereador de São Bento do Tocantins (TO), Adelsim do Povo (PP), teve a casa atingida por disparos na noite de sexta-feira, 9. Ele acusa o prefeito Ronaldo Parente (PSDB) de ser o autor dos tiros. A polícia, porém, não confirma a identidade do suspeito.

O parlamentar respalda a acusação em uma troca de mensagens com o gestor municipal. Segundo ele, o diálogo foi tomado por agressões e ameaças. Além disso, a Polícia Militar diz que testemunhas apontam Parente como responsável pelos disparos, que atingiram janelas e móveis. O prefeito não foi localizado pela reportagem.

Fora de casa

No local, estavam dois filhos do parlamentar, uma menina de 3 anos e um menino de 8, além de sua sogra e cunhada. Adelsim do Povo, que estava fora, disse ter ido o mais rápido possível para casa, após saber do ocorrido, e encontrado a família assustada.

“Meus filhos nunca tinham ouvido barulho de tiros e de repente, foram surpreendidos com balas passando próximo de suas cabeças. Para você ter noção, o Luís Fabiano estava assistindo TV bem próximo da janela por onde os tiros entraram”, relatou.

Confusão

Em nota à imprensa, o vereador disse que a rixa com Parente começou por um comentário que ele fez sobre a gestão, em um grupo de Whatsapp – em que o prefeito não está. Alguém teria enviado a conversa ao gestor, que procurou Adelsim no privado e iniciou o envio de mensagens, segundo ele, intimidatórias. O parlamentar disse ter respondido no mesmo tom.

“Dei apenas a mesma opinião que dou na Câmara e no contato com a sociedade, coisas que falo todo dia contra a gestão dele, e somente contra a gestão, não contra a pessoa. Sou contra a gestão”, pontuou o legislador do município de pouco mais de 4 mil eleitores. Segundo ele, há um boletim de ocorrência na Polícia Militar denunciando o ataque.

Bate-boca

O Jornal Opção teve acesso às mensagens. Confira:

Ronaldo Parente (possivelmente): E se você estiver achando, Adelsin, que eu estou de brincadeira, você marca um lugar para nos encontrarmos. Pode ser hoje, agora, a hora que quiser. Agora você respeita os outros. Você não honra nem teu pai. Não tem respeito por ninguém, é acostumado a rolar no meio da rua, coisa de cabra ruim… Mas uma hora faz um teste comigo. Marca uma hora para encontrar só nós dois, que eu vou te ensinar como a gente faz com cabra safado igual tu. 

Adelsim do Povo: Você que sabe, do jeito que quiser. Se assim que você quer resolver, estou no jeito. Eu arrumo a bagagem aqui agora e me despeço da mulher, porque não estou aqui para ser humilhado por homem nenhum. Cabra safado é tu.

RP: Vereador Adelsim, eu tenho feito muito sacrifício para evitar um problema contigo. Eu não me surpreendo em nada contigo, porque eu já te conheço. Eu sei que você é um cara sem escrúpulo, que não respeita ninguém, que não tem consideração por ninguém. Aqui ninguém te conhece mais do que eu. Rapaz, faz a sua política com seriedade, deixa de ser moleque. Peita em mim uma hora para ver o que acontece. Tu me respeita, moleque sem vergonha. Uma hora você faz um teste para ver, cabra safado.

AP: Prefeito, do mesmo tanto, eu também tenho disposição. Se está pensando que eu tenho medo… Repara quem tem mais a perder. Na hora que quiser. (…) Está pensando que é o que também? Eu sou vereador e não falei mais do que a verdade. A hora que quiser, você que sabe. Moleque é tu. É você que tem que me respeitar, não é eu te respeitar, não. Eu vivo às tuas custas?

O Jornal Opção tentou entrar em contato com a prefeitura de São Bento do Tocantins, mas não obteve retorno.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.