Verba liberada por governo federal era esperada e não resolve crise do Araújo Jorge

Administração do hospital esclarece que quantia de R$ 2,3 milhões, fruto de emendas parlamentares, será destinada à compra e manutenção de equipamentos

A verba anunciada pelo governo federal ao Hospital Araújo Jorge, em Goiânia, já era esperada e não resolve a crise financeira da unidade de Saúde. Esta é a avaliação da administração do centro hospitalar, que deve conceder entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (2/9) para tratar do assunto.

Conforme noticiou o Jornal Opção, em primeira mão, na tarde desta quinta-feira (1º), o governo do agora presidente Michel Temer (PMDB) anunciou que irá disponibilizar mais de R$ 2,3 milhões para o hospital.

A verba destinada à Associação de Combate ao Câncer em Goiás, responsável pelo hospital goiano, é referente a seis emendas parlamentares dos últimos dois anos que ainda não haviam sido pagas.

À reportagem, a assessoria da Associação de Combate ao Câncer em Goiás esclareceu que a quantia, já esperada pelo órgão, será destinada à compra e manutenção de equipamentos. A administração ressalva que o dinheiro é, de fato, muito bem vindo, mas nem de longe resolve a crise da unidade, referência no tratamento de câncer em Goiás.

No início do último mês, a administração do Araújo Jorge informou que poderia até suspender o atendimento aos pacientes do Sistema Único de Saúde devido à grave crise financeira. Desde então, a situação delicada do hospital tem sido objeto de discussão e alvo de campanhas para arrecadar verba.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.