Veja vídeo: Documentarista expõe pessoas a câmara especial para mostrar os estragos que o sol faz na pele

Exposição constante ao sol pode causar queimaduras e fotodermatoses graves no revestimento externo do corpo

Em uma ação, criada pelo documentarista anglo-americano Thomas Leveritt, com objetivo de conscientizar sobre o uso do protetor solar, mostrou a pessoas como a exposição constante ao sol pode ser prejudicial à pele.

Com uma câmera sob luz ultravioleta colocada na rua em um dia ensolarado mostrou, para pessoas que passavam pelo local, as alterações que o sol pode ocasionar na epiderme.

A luz ultravioleta da câmara especial de Thomas Leveritt  mostrou estragos não visíveis no revestimento externo do corpo, como sardas, manchas e rugas. Já quando os voluntários aplicavam o protetor solar, a aspecto mudava instantaneamente.

Na última terça-feira (12) o resultado final do trabalho de Thomas Leveritt foi publicado no Youtube com o nome “Como o sol te vê”. E até o momento desta publicação, cerca 1,8 milhão de pessoas já havia visualizado o material.

Já se sabe que a exposição constante ao sol pode causar queimaduras, fotodermatoses, fotoenvelhecimento, câncer de pele, desidratação e lesões oculares.

Com relação ao filtro solar, o creme protetor deve ser FPS 15 ou mais – aplicado 30 minutos antes de sair ao sol –, mesmo em dias nublados ou chuvosos. Lembrando que sua eficácia varia conforme a quantidade aplicada e o tempo de exposição.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.