Tribunal de Contas da União enviou  nesta semana ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os nomes que foram investigados ou punidos pela má aplicação de recursos

Mais de 200 gestores e ex-gestores públicos de Goiás correm risco de não poderem disputar as eleições desse ano em função de gastos julgados irregulares pelo Tribunal de Contas da União (TCU).

O órgão enviou  nesta semana ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os nomes que foram investigados ou punidos pela má aplicação de recursos.

Conforme a Lei da Ficha Limpa, o julgamento do Tribunal de Contas é um dos critérios que a Justiça Eleitoral utiliza para decretar a inelegibilidade de possíveis candidatos, os quais não usaram bem o dinheiro público. Confira aqui a lista.