Vecci diz que saída de Delegado Waldir do PSDB era esperada e nega desentendimento

Sem Waldir, parlamentar segue em defesa da viabilidade das prévias para definir o candidato do PSDB para a disputa deste ano. “Estou trabalhando para isso”

Foto: André Costa

Deputado tucano sinaliza estar pronto para a disputa interna com o presidente da Câmara Municipal, Anselmo Pereira | Foto: André Costa

A saída do deputado federal Delegado Waldir do PSDB, anunciada pelo próprio parlamentar em primeira mão pelo Jornal Opção na última terça-feira (10/2), repercute no meio político, mas não é tratada como grande novidade. O deputado goiano mais bem votado nas últimas eleições já vinha adiantando há tempos a desfiliação, caso não se viabilizasse para a disputa à Prefeitura de Goiânia dentro do ninho tucano. Em entrevista, o deputado federal e também pré-candidato pelo partido, Giuseppe Vecci, corrobora as afirmações. Para ele, as intenções do futuro ex-colega de sigla eram já bastante claras.

“Ele tem falado isso há muito tempo. Como membro do PSDB, acho ruim e uma grande perda que qualquer filiado saia do partido. Mas ele já vem colocando isso há muito tempo. Ele entende que se não for o candidato, ele sai. No entanto, cabe a ele justificar”, afirmou.

Vecci negou qualquer desentendimento com Waldir e se disse surpreso com a declaração do pré-candidato sobre a relação dos dois. Ao Jornal Opção, o delegado afirmou que tem com toda a bancada em Brasília um excelente relacionamento, “com exceção de Vecci”.

Nesta semana, o delegado também já havia criticado o colega de partido, ao chamá-lo de “candidato chapa-branca”. “Tomei conhecimento ontem que a gente não se relaciona bem. Porque, ao menos até antes de ontem, tínhamos um bom relacionamento”, questionou o deputado.

Vice-presidente do PSDB, Vecci diz desconhecer qualquer articulação em nível nacional pela permanência do deputado no partido. Segundo Waldir, o presidente da legenda, Aécio Neves, teria pedido a ele um prazo até esta quinta-feira para anunciar oficialmente sua saída. “Eu não sei o que é conversado em particular entre o presidente e membros do partido”, contou o deputado.

Pré-campanha e expectativas

Sem Waldir, a disputa interna do PSDB passa a ter apenas dois nomes: Vecci e o presidente da Câmara Municipal, Anselmo Pereira. Para as prévias, marcadas para o próximo dia 21, o deputado federal diz que as expectativas são as melhores. “Estarei trabalhando até dia 21. Me dou muito bem com Anselmo, mas estou trabalhando para derrotá-lo, sem ranço nem rancor, em um processo democrático”, explica Vecci.

Vecci defende a viabilidade e a validade das prévias na escolha do nome tucano para a Prefeitura de Goiânia. Segundo ele, este é um processo democrático, em que mais de 1.700 pessoas têm participação, sendo, para o deputado, inviável qualquer sugestão de suspeição do processo.

Independentemente da formação da disputa tucana, Giuseppe Vecci garante que tem trabalhado para viabilizar seu nome na capital, se  reunindo com integrantes do partido e levando suas propostas para todas as zonais do município de Goiânia. “Neste carnaval, eu não parei, não viajei. Tive reuniões todos os dias. Eu entendo que cada um de nós tem uma história e muitos anos de administração pública, mas pretendo levar meu plano de governo a todos, como já estou fazendo”.

Como mote de sua pré-campanha, Vecci afirma que pretende descentralizar a prefeitura, criando “subprefeituras” em todas as zonais da cidade para facilitar demandas da população e evitar a burocracia. À reportagem, o parlamentar afirmou que o plano de governo possui seis eixos estratégicos, que se desdobrarão em projetos para a capital goiana.

Disputa acirrada

Com o delegado Waldir fora do PSDB, é praticamente certo que a disputa municipal de 2016 ganha mais um nome e confirma a previsão de que o pleito vindouro não será nada polarizado. Vecci diz entender a realidade e vê como natural que, em uma democracia, todos tenham o direito de se colocarem como candidatos.

Mesmo assim, o parlamentar acredita que a legenda apresenta todas as condições para indicar o novo nome da administração goianiense. Nem a possível candidatura do ex-governador e ex-prefeito Iris Rezende poderia retirar o foco do PSDB em eleger o prefeito do maior colégio eleitoral do Estado. “Candidato a gente não escolhe. Iris tem suas potencialidades, mas temos todas as condições para administrar Goiânia”, disse o deputado, que conta com a aval de quase todos os filiados históricos do partido na capital.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.