Variante denominada P1 pode estar por trás do aumento no número de internações de pessoas mais jovens

Ismael Alexandrino, Secretário de Saúde do estado, afirma que autoridades têm percebido um aumento substancial na taxa de internação de pessoas que têm entre 24 e 59 anos de idade

A nova variante do coronavírus, denominada P1, pode estar sendo a principal responsável pelo aumento nos pedidos de internações para pessoas com idade entre 24 e 59 anos, ou seja, faixas etárias mais jovens. A nova variante surgiu na região norte do país, mais precisamente em Manaus, levando o sistema de saúde do estado do Amazonas a entrar em colapso e fazendo com que doentes precisassem ser transferidos para hospitais de outras localidades do Brasil.

“A gente tem percebido que essa nova variante tem acometido um quantitativo maior de pessoas mais jovens. Crianças em uma quantidade menor. Nesse momento a taxa de ocupação pediátrica gira em torno de 72%. Ainda temos aproximadamente 15 leitos de UTI pediátrica disponíveis e nos últimos 10 dias não tivemos novos pedidos de internação de crianças.” ressalta o secretário de Saúde, Ismael Alexandrino.

No entanto, o estado registra um aumento substancial na quantidade de internações de pessoas que têm entre 24 e 59 anos, sendo que muitos desses pacientes chegam à unidade de saúde com poucos sintomas da doença mas logo precisam ser internados e na maioria das vezes intubados, segundo o Secretário de Saúde. “Os números de pedidos de internação de pessoas mais jovens têm sido muito altos, o estado de pessoas entre 24 e 59 anos que estão com a doença tem se agravado bastante e de maneira muito rápida.”, reitera Ismael Alexandrino.

Vacinação

O Secretário afirma que o Ministério da Saúde já assinou os contratos de aquisição de novas doses da vacina com as empresas responsáveis pela sua produção. Ele ressalta que a dificuldade que foi relatada no começo do ano para o armazenamento da vacina da Pfizer, a qual precisa ser guardada a uma temperatura de -70° C, já foi sanada, uma vez que o estado de Goiás já tem os freezers que podem realizar o armazenamento de até 500 mil doses dessa vacina. 

Entretanto, Ismael afirma que não há imunizantes para serem comprados de forma independente por Goiás, pois todos os estoques já estão comprometidos com o Ministério da Saúde. Segundo o secretário, a previsão é de que todas as quartas-feiras chegue uma certa quantidade de doses da vacina para os estados.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.