Vanderlan visita a Associação de Combate ao Câncer em Goiás e propõe parceria

Candidato ouviu atentamente presidente da associação e se colocou à disposição para buscar alternativas à crise financeira da instituição

Divulgação

Divulgação

O candidato a prefeitura de Goiânia pelo PSB, Vanderlan Cardoso, se reuniu, nesta sexta-feira (2/9) com o presidente da Associação de Combate ao Câncer em Goiás, Dr. Paulo Moacir de Oliveira Campoli, para conhecer mais sobre as demandas e as principais necessidades que a Associação enfrenta atualmente. Também participaram da reunião o presidente da Câmara Municipal, Anselmo Pereira, e a vereadora Dra. Cristina.

Dr. Paulo explicou as mudanças administrativas que a ACCG passou nos últimos anos e, também, as dificuldades financeiras pelas quais a instituição atravessa. O candidato ouviu atentamente o presidente e se colocou à disposição para a busca de parcerias que ajudem a ACCG.

“Encaro a saúde como investimento e não como despesa. Quero propor uma parceria não somente agora, mas durante toda a minha gestão. Toda a ACCG irá encontrar em mim um parceiro e companheiro para enfrentar as dificuldades”, disse Vanderlan.

Dr. Paulo mostrou-se otimista e elogiou a postura do candidato. “Muitos candidatos falam sobre saúde em período eleitoral, mas poucos vêm aqui ver de perto nossa realidade”, comentou o presidente da ACCG.

Experiência positiva

Dra. Cristina, vereadora em Goiânia e da área da saúde, fez questão de relembrar a ótima gestão de Vanderlan nesta pasta quando foi prefeito de Senador Canedo. “Todo profissional de saúde tem hoje Senador Canedo como referência. A história da saúde daquele município se divide entre antes e depois de Vanderlan”, referendou.

O candidato do PSB aproveitou a oportunidade para discutir novamente o fortalecimento do Programa Saúde da Família. Para Vanderlan, este é o caminho para que a gestão municipal possa dar um atendimento de qualidade à população goianiense.

“Primeiro é preciso investir no Programa de Saúde da Família. O pronto socorro trata a doença, mas é preciso tratar o início de tudo, lá no bairro, na prevenção. É preciso colocar todas as equipes completas. Hoje a prefeitura diz que tem 50% de cobertura. No primeiro ano vamos aumentar para 80% e, até o quarto, vai chegar a 100%. Eu falo com conhecimento de causa, pois nós fizemos a melhor saúde do Brasil”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.