Ao Jornal Opção, pré-candidato do PSB reforça que está aberto ao diálogo, mas garante que seu nome está consolidado para a disputa à Prefeitura de Goiânia

Mesmo com três deputados estaduais e uma senadora que compõem a base do governador Marconi Perillo (PSDB) e, assim, evidentemente mais próximo à aliança governista, Vanderlan Cardoso (PSB) define sua pré-candidatura à Prefeitura de Goiânia como “independente” e não nega diálogo com qualquer força política.

[relacionadas artigos=”70057″]

Em meio a um cenário de incertezas, Vanderlan garante que o seu nome está consolidado para as eleições deste ano e diz que sairá candidato. Até admite a possibilidade de aliança com a base, mas desde que esteja na cabeça de chapa.

Questionado sobre os esforços do pré-candidato do PSDB, Giusepe Vecci, em negociar uma proposta de nome único para a base, Vanderlan afirma que vê o “desprendimento” do tucano como válido e lembra que está aberto ao diálogo. “Sendo procurado, vou estar conversando”, explica.

Especificamente sobre como a possível aliança se daria, o ex-prefeito de Senador Canedo ressalva que nenhuma decisão será tomada sem passar pelos quadros políticos do PSB no Estado e na capital. Acrescenta, entretanto, que qualquer apoio recebido será alvo de uma “análise criteriosa”. “Não vamos fazer alianças só para ganhar eleições”, frisou.

Por fim, sobre as primeiras pesquisas de intenção de voto, que mostram Iris Rezende (PMDB) e Delegado Waldir (PR) à frente, o pessebista engrossa o coro dos demais pré-candidatos e diz que os levantamentos apenas indicam quem são os nomes mais conhecidos pela população.