Senador eleito afirmou que além de “autoritária”, fala do futuro ministro da Economia foi dada em um momento “inapropriado” e mostra “total desconhecimento” 

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Paulo Guedes, o futuro ministro da Economia do governo Bolsonaro, polemizou mais uma vez ao falar de mudanças no governo. Dessa vez, o economista defendeu nesta segunda-feira, 17, no Rio de Janeiro, cortes no chamado ‘Sistema S’, que engloba organizações do sistema produtivo, como Sesi, Senai, Sesc, Sebrae entre outros. Autoridades e políticos comentaram sobre as declarações, entre eles, o senador eleito, Vanderlan Cardoso (PP).

[relacionadas artigos=”153889″]

Para Vanderlan, a fala do futuro ministro Paulo Guedes está “equivocada”. “A forma como ele se expressou dá a entender que o Governo Federal sustenta o ‘Sistema S’ e isso não é verdade. Os recursos são oriundos da folha de pagamento das empresas. A Receita Federal gere esse recurso e ainda cobra 3% da verba”, explicou.

O senador eleito aproveitou para reforçar que o ‘Sistema S’ é uma das poucas coisas que funcionam com padrão de excelência no Brasil. E que, com as declarações, Guedes mostrou um total desconhecimento sobre o tema. “Ele deveria buscar conhecer o sistema antes de falar”, completou.

Vanderlan, que também é empresário e ex-prefeito de Senador Candeo, também concordou que Guedes falou sobre o assunto de forma muito “autoritária”, e garantiu que, para mudar ou tirar qualquer coisa do recurso, não é assim com uma simples canetada ou decreto.

“Tem que passar pelo Congresso, pelo Senado. Ele não pode sair dando esse tipo de discurso por aí e apavorando todo mundo. Ele mexe com a vida de milhares de pessoas”, alertou o empresário.

O senador eleito concluiu, ainda, dizendo que a declaração dada pelo futuro ministro de Bolsonaro é “conversa jogada fora em um momento inapropriado” e que “não é dessa forma que ele irá resolver os problemas do Brasil”, pois os recursos do ‘Sistema S’ vem das empresas.