“Vamos vasculhar de forma incisiva todos os contratos de direção das OSs”, afirma deputado

Eduardo Prado diz que há denúncias de irregularidades como superfaturamento, distorção de preços pagos pelo Estado e enriquecimento ilícito de gestores das OSs

Deputado Delegado Eduardo Prado | Foto: Alego

Por Leicilane Tomazini

O deputado estadual Delegado Eduardo Prado (PV) recolheu mais de 14 assinaturas para requerer na Assembleia Legislativa a constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). O intuito da subscrição é investigar os contratos de gestão firmados entre o Estado e as Organizações Sociais da Saúde (OSs). Segundo o parlamentar, foram observadas várias irregularidades nas negociações, e os deputados, enquanto fiscalizadores do poder executivo, têm a obrigação de fazer esse levantamento.

Eduardo declarou que convidará órgãos de fiscalização como Dercap (Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública) e Tribunal de contas para serem parceiros durante as investigações. “Vamos vasculhar de forma incisiva todos os contratos de direção dessas OSs”, reforçou o deputado.

A justificativa para a instauração da comissão, de acordo com Eduardo, são as denúncias de irregularidades como superfaturamento, distorção de preços pagos pelo Estado e enriquecimento ilícito de gestores das OSs. Ele reitera que as demais CPIs que integrou culminaram com o indiciamento de gestores, “As Comissões que participamos não acabaram em pizza”.

Além disso, o deputado afirma que o setor vem enfrentando graves crises desde o ano passado. Os problemas vão de paralizações dos profissionais da saúde até falta de fornecimento e não pagamento dos funcionários nos hospitais. Caso seja aprovada, a CPI contará com cinco membros e, a partir da data de sua instalação, terá 120 dias para concluir os trabalhos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.