“Vamos parar a prefeitura”, diz Sindigoiânia sobre possibilidade de parcelamento salarial

Presidente do sindicato, vereado Romário Policarpo confirmou que há conversas informais entre diretores do Paço que sinalizam para a nova forma de pagamento

Vereador GCM Romário Policarpo | Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

Em meio a rumores de que a Prefeitura de Goiânia pode começar a parcelar o salário dos servidores municipais, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Município de Goiânia (Sindigoiânia), o vereador GCM Romário Policarpo, disse, entrevista ao Jornal Opção nesta terça-feira (26/9), que irá “parar a prefeitura”, caso ocorra de fato o fracionamento.

Segundo o parlamentar, realmente há conversas informais entre diretores e secretários da prefeitura que sinalizam para a nova forma de pagamento.

“Onde há fumaça há fogo. Assim como há meses atrás, a gente discutia que não pagariam mais no mês trabalhado, mas acabou acontecendo. E assim como tempos atrás se discutia a possibilidade do não pagamento da data base e aconteceu. Agora mais isso. Ninguém confirma, mas preocupa, porque tudo que foi ‘conversado’, até o momento, acabou acontecendo”, lamentou o sindicalista.

Desta vez, no entanto, Policarpo garante que a entidade, a maior representante do funcionalismo público da capital, não aceitará o parcelamento e sinaliza, até mesmo, para um indicativo de greve. O vereador assevera que entende o momento de crise a financeira pela qual passa a prefeitura, mas lembra que a pena está recaindo apenas sobre os ombros dos servidores municipais.

“A prefeitura tem dinheiro para fazer mutirões. Então, tem que ter dinheiro para pagar os trabalhadores também”, finalizou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.