Decisão apontou três irregularidades no modelo atualmente adotado pelos procuradores

Ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas determinou, nesta quarta-feira, 10, que os procuradores da Operação Lava Jato devolvam os valores recebidos com diárias e passagens no período em que atuaram na força-tarefa. Isso porque Dantas considerou irregular o modelo adotado pelos procuradores atualmente.

O relator concluiu que os procuradores causaram dano ao erário, ao sustentar falta de fundamentação, sem a devida comprovação. Além disso, constatou violação ao princípio de economicidade e ofensas ao princípio da impessoalidade, como a falta de critérios técnicos que justificassem a escolha de quais procuradores integrariam a operação.

Ao todo, cinco procuradores devem ser citados nos próximos dias. Entre eles, Antonio Carlos Welter, Carlos Fernando dos Santos Lima, Diogo Castor de Mattos, Januário Paludo e Orlando Martello Júnior.