Usuários se mobilizam contra “falsa regulamentação” do Uber em Goiânia

Petição online foi criada para impedir aprovação de projeto que restringe a atuação do aplicativo na capital

Página na internet já soma mais de 1,5 mil assinaturas

Página na internet já soma mais de 1,5 mil assinaturas

Usuários da plataforma Uber em Goiânia têm se mobilizado contra um projeto de lei que, tramita na Câmara Municipal, e pretende restringir a atuação da empresa na capital. A matéria, que deve ser apreciada nesta semana no plenário da Casa, regulamenta o serviço, que passará a ficar restrito apenas aos veículos com cadastros e autorizações vigentes junto à Prefeitura de Goiânia.

Uma petição online, com pouco mais de 1,5 mil assinaturas, classifica o projeto como uma “falsa regulamentação” e pede empenho para impedir sua aprovação no Legislativo municipal. “A Câmara Municipal de Goiânia está a um passo de cometer uma injustiça com o cidadão goianiense”, diz o texto que acompanha a petição.

Nas redes sociais, internautas também têm se mobilizado contra a aprovação da matéria, convocando a população a comparecer na sessão da próxima terça-feira (7).

“Estão querendo acabar com o seu direito de escolha. Estão querendo acabar com um serviço seguro e de qualidade. Diga não à restrição do Uber”, pede uma publicação no Facebook, com mais de 200 compartilhamentos.

Trâmite

A Comissão do Trabalho aprovou, na manhã da última quinta-feira (2), o projeto de lei nº 260/2015 que regulamenta o uso de aplicativos para prestação de transporte individual e remunerado de passageiros.

Para o relator do projeto, Mizair Lemes Júnior, o Uber faz captação predatória de passageiros, resultando em concorrência desleal. Além disso, ele destacou, em seu parecer, que a população está sendo colocada em risco, pois não há regulamentação deste tipo de serviço.

De autoria de Carlos Soares (PT), Anselmo Pereira (PSDB) e Djalma Araújo (Rede), a matéria foi apreciada com emenda. “A emenda reforça que o serviço de transporte individual e remunerado de passageiros depende do ordenamento municipal. Para atuar nesse segmento, é necessário ter autorização da Secretaria Municipal de Trânsito, Transporte e Mobilidade, além de se submeter às regras que regem a nossa cidade”, explicou Carlos Soares.

A reunião foi acompanhada por mais de 20 taxistas de Goiânia. Nenhum representante do Uber compareceu. Segundo o presidente da Comissão de Trabalho, Divino Rodrigues (PROS), a segunda e última votação do projeto em plenário está prevista para a próxima terça-feira (7).

Uma resposta para “Usuários se mobilizam contra “falsa regulamentação” do Uber em Goiânia”

  1. Avatar Andre luiz santos disse:

    Neste ano teremos eleições municipais. Lembre-se Mizair JR e vereadores que lembraremos de vocês que são contra o UBER.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.