Uso precoce de medicamentos por pacientes com Covid-19 é tema de audiência na Câmara dos deputados

As discussões podem nortear novos protocolos adotados pelo Ministério da Saúde

Ivermectina tem tido uso profilático no tratamento à Covid-19 | Foto: Reprodução

A comissão externa da Câmara dos Deputados que acompanha ações de combate ao novo coronavírus debate o uso de medicamentos como tratamento precoce a Covid-19. Os parlamentares pretendem debater com especialistas e apresentar ao Ministério da Saúde um relatório sobre o tema.

O médico e deputado federal Zacharias Calil (DEM), se mostra favorável ao uso de medicamentos logo nos primeiros estágios da doença. “Eu vejo que o tratamento em qualquer situação é a melhor opção que você tem. Não se pode esperar a doença manifestar. A Covid-19 tem a fase 1, 2, 3 e 4, que vai se agravando”, afirmou ao Jornal Opção.

“Com isso, o paciente que poderia ser tratado em um menor período de tempo pode ter tido uma complicação e seguir para a UTI. Com isso você mantém o paciente entubado por mais tempo, maior morbidade. Está havendo discussões entre médicos de várias especialidades. Uns acham que o paciente tem que aguardar e outros para se manter o tratamento mais precoce possível, porque a piora é muito rápida”, disse.

As discussões podem nortear novos protocolos adotados pelo Ministério da Saúde, que determina essas normas no serviço público e se mostra aberto quanto a essa posição.

“O diagnóstico hoje primordial é a tomografia computadorizada. Se você vai fazer a testagem, você leva pelo menos cinco dias para ter o exame pronto. Enquanto isso, o paciente pode apresentar complicações do ponto de vista clínico e também hematológico. Ele começa apresentar inclusive alterações na coagulação sanguínea. Tem de 10% a 20% de comprometimento pulmonar, então eu acho que já deve sim entrar com anticoagulante, antibiótico, corticoide…”, argumentou o parlamentar.

“Tenho visto grande parte dos profissionais da saúde utilizando a ivermectina, não são todos, mas a grande maioria est]ao fazendo uso profilático com ela. Isso é fato. Não adianta falar que não tem evidência clínica. É o seguinte. Com a Covid-19 você não tem evidência de como vai evoluir em você. Pode evoluir bem ou mal. Que mal esse medicamento vai fazer?”, opinou.

Uma resposta para “Uso precoce de medicamentos por pacientes com Covid-19 é tema de audiência na Câmara dos deputados”

  1. Keila Bueno disse:

    Neste momento ANJOS MÉDICOS estão salvando vidas com o TRATAMENTO PRECOCE, cujos resultados reais já foram evidenciados e divulgados.
    A BÊNÇÃO agora é PROTEGER E SALVA VIDAS com terapia que venha favorecer a imunidade (ivermectina, azitromicina, vitaminas e suplementos, etc)
    É triste saber que muitos TECNOCRATAS MÉDICOS aguardam as “evidências científicas” para prescrever o protocolo de tratamento.
    LAMENTAVELMENTE a política de saúde continuam orientando as pessoas a “FICAR EM CASA”, ignorando a replicação fatal do vírus da morte e das sequelas terriveis: COVID-19

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.