União gay: 90% dos parlamentares do PT são a favor. Do PSDB, só 43%

Datafolha revela que congressistas dos dois partidos também têm opiniões conflitantes quando o assunto é o reconhecimento em lei da união entre pessoas do mesmo sexo

Deputada Erika Kokay, do PT, em defesa dos direitos dos homossexuais; deputado goiano João Campos, do PSDB, em defesa da família tradicional brasileira | Fotos: reprodução / Facebook

Deputada Erika Kokay, do PT, em defesa dos direitos dos homossexuais; deputado goiano João Campos, do PSDB, em defesa da família tradicional brasileira | Fotos: reprodução / Facebook

Pesquisa Datafolha, divulgada nesta terça-feira (13/10) pelo jornal “Folha de S. Paulo”, mostra que os parlamentares dos dois partidos mais representativos do País têm opiniões diferentes quando o assunto é o reconhecimento em lei da união de pessoas do mesmo sexo.

Conforme o levantamento, 90% dos congressistas do PT defendem que uma família pode ser formada pela união de dois homens ou de duas mulheres, enquanto apenas 43% dos tucanos compartilham do mesmo posicionamento.

Curiosamente, a pesquisa mostrou que o reconhecimento da união entre pessoas do mesmo sexo é maior entre oposicionistas. No Senado, 53% dos parlamentares governistas são favoráveis. Já os que pertencem a partidos de oposição contabilizam um índice de 83%.

Em âmbito geral, a pesquisa mostra que a maioria dos congressistas apoia a união gay. Entre os deputados e senadores ouvidos, 53% afirmaram que a lei deve reconhecer formações familiares com a união de pessoas do mesmo sexo. Outros 37% avaliaram que uma família só pode ser formada entre um homem e uma mulher, enquanto 10% não se posicionaram.

O Datafolha entrevistou 289 deputados federais e 51 senadores até a última sexta-feira (9/10). A margem de erro é de três pontos porcentuais para mais ou para menos.

Uma resposta para “União gay: 90% dos parlamentares do PT são a favor. Do PSDB, só 43%”

  1. Epaminondas disse:

    João Campos, ao invés de envergonhar o goianos, poderia experimentar uma coisa diferente e nos explicar porque união homoafetiva interfere nas uniões heterossexuais.

    Se não houver respaldo do Estado, o pessoal desiste de ser gay e vai brincar de casinha heteronormativa? E se houver união homoafetiva, o pessoal hetero se sentirá balançado para jogar água fora da bacia?

    Este cara deve ter a inteligência do tamanho da qualidade dos raciocínios que apresenta. Abomino o PT, mas João Campos me faz ter vergonha da oposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.