Previsão é que aproximadamente 20 deputados deixem o União Brasil; Podemos ter cinco ou seis baixas; no PT, quatro parlamentares sinalizam troca de legenda

Partidos já se preparam para prejuízos durante período de janela partidária. Com início nesta quinta-feira, 3, o prazo para debutados federais e estaduais mudarem de partido sem correr risco de perder o mandato começa a ter efeitos em siglas. Até o momento, o partido com previsão de perder o maior número de parlamentares é justamente o que tem maior bancada da Câmara, o União Brasil. Originado da fusão entre DEM e PSL, a previsão é que aproximadamente 20 deputados devem deixar a sigla, que atualmente conta com 81 nomes.

Em sequência, Podemos pode ter cinco ou seis baixas neste processo. A sigla, que tem o ex-ministro Sergio Moro, atualmente conta com onze parlamentares. O Novo, até o momento, possui oito deputados e também deve perder integrantes durante janela partidária que vai até o dia 1º de abril. Isto se dá devido a divergência ideológica que ocorre internamente no partido, sendo entre bolsonaristas e opositores. Quem segue também o caminho das perdas é o PDT, em que, ao menos, quatro deputados sinalizaram saída. Para sigla, principal motivo é a adesão de parlamentares da legenda a um projeto de governo durante votação da PEC dos Precatórios. Estão também listados para ter baixa no número dos deputados o PSDB, saindo de 32 para 27. O PROS que, atualmente, conta com dez deputados, indo para sete. Por fim, o PTB, que terá uma diminuição de dez para cinco, ao que tudo indica.

Mesmo ante da janela iniciar, 39 deputados já deixaram legendas pela qual foram eleitas em 2018. Por hora, a expectativa é que trocas durante a janela partidária alterem a composição das bancadas na Câmara dos Deputados.

Em antemão ao movimento de perdas, o PL deve ser o partido que mais crescerá durante janela. Atualmente, é projetado um salto de 43 para 65 deputados a integrarem a sigla. Isto porque filiação do atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, impulsou para que parlamentares ingressassem ao partido. O Progressistas deve sair dos 42 para 52 membros, sendo este o partido do presidente da Câmara, Arthur Lira (AL). Em seguida, o PSD pode saltar de 35 para 40. Republicanos de 31 para 34. E, por fim, o PT, com maior bancada da Câmara, deve ganhar um parlamentar.