O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassou as chapas do Partido Republicano da Ordem Social (Pros) em Senador Canedo que foi incorporado pelo Solidariedade. Como consequência, perderam os mandatos os vereadores Robson Henrique, Wesley de Souza e Celismar Lima. A expectativa é que assumirão essas vagas os candidatos Willian Coelho (PL), Paulo Varelo (DEM, atualmente, União Brasil) e Tia Fernanda (PRTB).

O advogado Gilmar Mota, que protocolou o pedido de cassação e representou na ação os denunciantes Willian Coelho e professor Jesus (PL), disse ao Jornal Opção que a determinação do TSE “foi para cumprimento da decisão independente de publicação e, por isso, em Goiás já está se cumprimento a sentença”.

A relatoria do caso na Corte foi do ministro Benedito Gonçalves. Ele entendeu que o partido cometeu fraude em candidaturas femininas e, assim, descumpriu a cota de gênero de 30%. “O voto do ministro foi acompanhado por todos os seis ministros. A votação foi unânime pelo pleno”, enfatizou Mota.

A recontagem dos votos da eleição de 2020 foi agendada pelo juízo da 46ª Zona de Senador Canedo, para a próxima terça-feira, 21. Mota acredita que os nomes apontados por ele serão confirmados nesta data.