União Brasil deve perder um deputado federal e três estaduais

Major Vitor Hugo, Humberto Teófilo e Paulo Trabalho devem deixar a nova sigla, a maior do país

Apesar da fusão entre o Democratas e o Partido Social Liberal (PSL) representar a instituição do partido com os maiores fundo partidário e tempo de propaganda eleitoral, o recém-criado União Brasil terá algumas perdas no Estado. Ao menos quatro nomes devem sair da nova legenda: o deputado federal e pré-candidato ao governo Major Vitor Hugo, os deputados estaduais Delegado Humberto Teófilo, Paulo Trabalho e Major Araújo. Ainda assim, o partido deve ficar com três deputados federais e cinco deputados estaduais.

Fora do União Brasil, eles pretendem caminhar com a pré-candidatura do presidente Jair Bolsonaro (PL) à reeleição e podem, inclusive, seguir para a mesma sigla. O caminho é natural para Major Vitor Hugo, que foi líder do antigo PSL na Câmara Federal, e também para o deputado estadual Humberto Teófilo, que é pré-candidato a uma cadeira na Câmara Federal e está “mais próximo do PL”. O político, inclusive, é o primeiro a querer deixar a sigla. Ele anunciou a intenção momentos após a homologação da fusão e já está analisando a viabilidade jurídica da desfiliação faltando menos de um mês para que a janela partidária seja aberta aos parlamentares.

“Quero ser o primeiro a assinar a minha ficha de desfiliação”, comentou o político. Teófilo, porém, deve ser o segundo. Isso porque o deputado estadual Major Araújo, que foi eleito pelo PRP e deixou a sigla por causa da fusão do PRP com o Patriota, já está com pedido de desfiliação protocolado junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Ele ainda não teve a saída confirmada.

Araújo também deve ir para o PL ou pode retornar ao Patriota, porém, avalia estar mais próximo do partido de Bolsonaro por questões ideológicas. “Já dei baixa junto a Alego. Se não estiver filiado a nenhuma sigla até o retorno legislativo, vou constar sem partido”, disse ao Jornal Opção.

Mesmo caminho

O deputado Paulo Trabalho também pretende deixar o União Brasil, mas não quis adiantar o partido para onde deve ir. O político tem participado de reuniões da Frente Conservadora de Goiás e quer atua nesta linha, “fortalecendo a campanha de reeleição de Bolsonaro”. Por este motivo, a tendência é de que ele saia do novo partido. “Nós estamos estudando a melhor possibilidade de modo a fortalecer a nossa base, bem como o apoio e suporte à reeleição do nosso presidente Jair Bolsonaro”, comentou o deputado. 

O pré-candidato ao governo de Goiás Major Vitor Hugo não respondeu ao Opção até o fechamento desta matéria. A tendência, no entanto, é de que o político vá para o PL. Ex-líder do governo na Câmara dos Deputados e postulante ao Palácio das Esmeraldas pelo partido de Bolsonaro mesmo sem estar filiado, Vitor inclusive tem sido testado em pesquisas internas. Ele quer ser o candidato da direita conservadora e rechaça o apoio do PL a pré-candidatura de Gustavo Mendanha (sem partido). “Eu sou pré-candidato. Precisamos que todos saibam que existem outras pessoas além daquelas que estão postas”, comentou o político em redes sociais dele.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.