UFG e MPGO emitem nota sobre agressão a estudante goiano por policial

Mateus Ferreira sofreu traumatismo craniano e segue internado em estado grave. Caso repercutiu Brasil afora e provocou reação da Polícia Militar de Goiás

A Universidade Federal de Goiás (UFG) e o Ministério Público de Goiás (MPGO) emitiram nota de repúdio a agressão sofrida pelo estudante Mateus Ferreira da Silva por policiais militares durante manifestação em Goiânia, no início da tarde de sexta-feira (28/4).

O jovem sofreu traumatismo craniano e segue internado em estado grave. O caso repercutiu na imprensa local e nacional, e fez com que a Polícia Militar viesse a público reconhecer a agressão e anunciar instauração de inquérito para apuração dos fatos.

No comunicado, a Federal goiana afirma ser “histórica defensora” do direito à livre manifestação e informa que o reitor Orlando Amaral irá cobrar pessoalmente da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária a adequada investigação e a punição dos responsáveis.

Já o MP afirma que, “como defensor da democracia, não medirá esforços para apurar eventuais casos de abusos, bem como responsabilizar, nos termos da lei, aqueles que tenham praticado ilegalidades”. Confira abaixo as notas na íntegra:

O Ministério Público do Estado de Goiás, por meio do seu Grupo Especial de Controle Externo da Atividade Policial (GCEAP), repudia por completo as agressões sofridas pelo estudante Mateus Ferreira da Silva e de qualquer outro cidadão durante as manifestações desta sexta-feira (28/04), no Estado de Goiás.

Abusos e excessos de qualquer agente público não serão tolerados pelo Ministério Público como defensor dos direitos e garantias fundamentais e órgão incumbido de exercer o controle externo da atividade policial.

O MP, como defensor da democracia, não medirá esforços para apurar eventuais casos de abusos, bem como responsabilizar, nos termos da lei, aqueles que tenham praticado ilegalidades.

Dessa forma, o GCEAP acompanhará a apuração dos fatos relatados para individualizar eventuais desvios de conduta que vão de encontro ao nosso Estado Democrático de Direito e para isso reafirma que as portas da instituição estão abertas para atender qualquer cidadão que tenha tido violados seus direitos fundamentais.

Ministério Público de Goiás

 

Universidade Federal de Goiás (UFG) repudia a violência sofrida pelo estudante de Ciências Sociais desta instituição, Mateus Ferreira da Silva, agredido por um policial militar durante manifestação no centro de Goiânia nesta sexta-feira (28/4). A UFG é histórica defensora do direito à livre manifestação e condena com veemência atos de repressão que venham a cercear esse princípio democrático.

O reitor da UFG, Orlando Amaral, irá cobrar da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária a adequada apuração dos fatos e a punição dos responsáveis. A SSPAP informou que já foi instaurado um procedimento para investigar a atuação dos policiais militares que estavam envolvidos direta ou indiretamente na agressão.

A UFG também acompanha o atendimento ao estudante Mateus Ferreira da Silva no Hospital de Urgências de Goiânia, onde está internado em estado grave. Mateus teve traumatismo cranioencefálico e múltiplas fraturas.

A UFG reitera que defende a legitimidade de manifestações pacíficas como um direito irrestrito de toda a população e, sobretudo, da comunidade universitária, na luta por uma sociedade mais justa e democrática.

UFG

2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

MARIA ISABEL DE ASSIS PEREIRA

Pacífica, quem atirou paus nos policiais e quebrou vidraças? A PM deveria divulgar gravações dos ataques aos policiais. Foi um ato terrosrista.

Luciano Almeida

Contra fatos, não há argumentos. Agressão brutal, inaceitável. Espero que esse crime receba punição exemplar. Onde já se viu.