UEG desenvolve estudo sobre circulação do coronavírus em Quirinópolis

Projeto envolve a Prefeitura Municipal de Quirinópolis, a Usina São Martinho SA e Unesp – Jaboticabal

Foto: Reprodução

O coordenador da Universidade Estadual de Goiás (UEG) – Câmpus Sudoeste, Roberto Barcelos, falou ao Jornal Opção sobre o início da pesquisa “Circulação do SARS-COV-19 em Quirinópolis: inquérito sorológico na comunidade”. O estudo é fruto de uma parceria entre a UEG, a Prefeitura Municipal de Quirinópolis e a Usina São Martinho SA.

“Assinamos o acordo de cooperação no dia 6 de agosto, em seguida, ele foi submetido ao conselho de ética. Nesta semana a Usina São Martinho disponibilizou 600 kits e o grupo que irá aplicar os testes passa por uma formação”, detalha Barcelos. A testagem será feita com visitas a residências, escolhidas por meio de sorteio a partir das características censitárias do município.

A Unesp Jaboticabal já realizou o mesmo tipo de pesquisa no município do interior de São Paulo e prestará consultoria à UEG durante o desenvolvimento da pesquisa, que diferentemente de outras testagens em massa não é focada apenas em pessoas com sintomas. Ou seja, serão testadas pessoas com e sem sintomas, o que permitirá entender o fluxo de contaminação, assim como quem teve a doença e não sabe.

De acordo com o coordenador da UEG, o recorte da circulação do SARS-COV-19 no município irá orientar o desenvolvimento de políticas públicas mais assertivas no combate à pandemia. A expectativa é que até o início do próximo mês já será feita a primeira etapa da testagem no município. Ao todo, serão três etapas de coleta de dados, com intervalo de três semanas entre cada fase.

Segundo o coordenador do projeto, Lourenço Faria, o projeto é baseado no que já vem sendo desenvolvido pela Universidade Federal de São Paulo. “Com o exame sorológico vamos identificar se os indivíduos tiveram, em algum momento, contato com o vírus”, detalha. “Mas também saberemos se a soroprevalência está aumentando, diminuindo ou aumentando entre cada etapa”, completa.

A Prefeitura de Quirinópolis disponibilizará recursos humanos para aplicação dos testes e fornecerá os Equipamentos de Proteção Individual. À UEG cabe planejar, coordenar e executar os estudos, pesquisas e análises. A Unesp – Jaboticabal é também parceira do projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.