Ucrânia pausa corredores humanitários para evitar provocações russas

Informação foi divulgada pela vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, nesse domingo

O governo ucraniano decidiu suspender a utilização de corredores humanitários para a retirada de civis, nesta segunda-feira, 28, com a intensão de evitar “eventuais provocações” da Rússia, antes de um encontro para negociações entre delegações dos dois países, na Turquia. “Os nossos serviços de informações avisaram sobre possíveis provocações nas rotas dos corredores humanitários, portanto, por razões de segurança para os civis, nenhum corredor humanitário estará aberto hoje”, declarou a vice-primeira-ministra ucraniana, Iryna Vereshchuk, em comunicado enviado por canal oficial no Telegram.

Os corredores humanitários são organizados nas cidades mais afetadas pela guerra, para que civis possam deixar os locais em segurança. Segundo a Ucrânia, no entanto, a Rússia tem realizado ataques frequentes nessas regiões, especialmente ao redor de Mariupol, no sul do país. A princípio, os corredores humanitários desta segunda continuariam os trabalhos de evacuação em Mariupol, além de serem iniciados na região de Sumy. Com a decisão, porém, o governo deve aguardar para comunicar a abertura de novos espaços para a retirada segura de civis.

“Continuamos a trabalhar em acordos para abrir outras rotas de corredores humanitários”, garantiu Vereshchuk na mensagem. Até agora, a invasão da Ucrânia já provocou a fuga de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 3,8 milhões de refugiados em países vizinhos, além de quase 6,5 milhões de deslocados internos. Ao todo, a ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas ainda necessitam de assistência humanitária no país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.