Uber pode ser regulamentado a partir de projeto de parlamentar goiano

Deputado federal Thiago Peixoto aproveitou os sete dias longe da Segplan para apresentar proposta que altera Lei dos Taxistas e Código de Defesa do Consumidor

Aplicativo causa polêmica em todo o mundo por não estar sujeito à legislação e aos encargos dos taxistas | Bruna Aidar

Aplicativo causa polêmica em todo o mundo por não estar sujeito à legislação | Bruna Aidar

O serviço prestado por motoristas cadastrados no aplicativo Uber pode ser regulamentado em todo o País a partir de projeto de lei apresentado por um deputado federal goiano, na Câmara dos Deputados.

Thiago Peixoto (PSD) propôs texto modificando pontos da Lei dos 12.468/2011, que regulamenta a profissão de taxista e o Código de Defesa do Consumidor (CDC). Segundo o parlamentar, regimentos estaduais, distritais e federais têm graves vícios de inconstitucionalidade.

O pessedista se baseia na afirmação da ministra do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Fátima Nancy Andrigh. No mês passado ela afirmou que só uma lei federal pode proibir o aplicativo, durante o 2º Congresso Brasileiro de Internet, em Brasília. De acordo com a magistrada, as recentes decisões dos governos não devem durar muito, caso pedidos de contestação cheguem ao Supremo Tribunal Federal (STF).

A interpretação da ministra é a de que a Suprema Corte deverá vetar essas decisões por serem inconstitucionais, conforme o Artigo 30 do Capítulo IV da Constituição Federal. O trecho diz que compete aos municípios organizar e prestar, diretamente ou sob regime de concessão ou permissão, serviços públicos de interesse local, incluindo o transporte coletivo.

Contudo, Andrigh vê como diferente a atuação de taxistas e do aplicativo. “O táxi é transporte público individual, que deve atender de forma universal os passageiros, enquanto o Uber é um transporte privado individual, no qual impera a autonomia da vontade do motorista, de acordo com sua conveniência.”

Thiago Peixoto quer Uber regulamentado | Mantovani Fernandes/Governo de Goiás

Thiago Peixoto quer Uber regulamentado | Mantovani Fernandes/Governo de Goiás

“Entendo que há um confronto equivocado. A ação é inovadora e existe espaço no transporte público tanto para o Uber quanto para os taxistas. A rua não pode ter dono e o cliente tem de ter o direito de escolher qual a melhor opção para transportá-lo. Mas é preciso regulamentar”, concorda Thiago.

O deputado — que deixou a Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan) para retornar ao posto na Câmara dos Deputados por uma semana — diz ainda que taxistas pagam taxa anual de concessão às prefeituras, ao contrário do Uber. “Porém, eles não têm privilégios, como desconto de ICMS e Imposto sobre Produtos Industrializados [IPI] na compra de veículos, e a isenção do IPVA. Além disso, os municípios vão conseguir gerar mais tributos com a cobrança do Imposto Sobre Serviço (ISS).”

Apesar não contar com o serviço até agora, a forte pressão dos sindicatos dos taxistas fez com que começasse a tramitar na Câmara de Vereadores de Goiânia projeto que pretende, na prática, proibir o Uber na capital. A proposta é de Carlos Soares (PT), líder do Paço Municipal.

Uma resposta para “Uber pode ser regulamentado a partir de projeto de parlamentar goiano”

  1. Avatar Epaminondas disse:

    Que esquisito: Ver parlamentar goiano atuando a nível nacional e não é o João Campos ou o Delegado Waldir nos envergonhando.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.