“Trump passou a ser o Bin Laden do American Dream”, diz ex-presidente José Sarney

Ex-presidente defendeu que Estados Unidos tomem medidas duras, como banimento de Trump da política

Em texto divulgado nesta segunda-feira, 11, o ex-presidente José Sarney  analisou a invasão do Capitólio, nos Estados Unidos, pelos apoiadores de Donald Trump.

O ex-presidente afirmou que o episódio deixa marcas profundas na história e iguala o presidente estadunidense a ditadores como Nicolás Maduro. Sarney ainda defendeu que os EUA tomem medidas duras, como o banimento de Trump da política.

“Como apagar essa mancha da História americana? Só com a punição do presidente, pois mostrará que a democracia é tão forte que até o sumo-sacerdote do seu templo, quando viola seus dogmas, é banido da política, como indigno dela. Trump passou a ser o Bin Laden do American Dream: um destruiu as Torres Gêmeas; o outro, o Capitólio, Catedral da Democracia”, disse Sarney.

“Que diferença podem invocar de Maduro fazer a representação parlamentar com a violência de leis fruto da chicana e unicamente destinadas à manutenção do poder? Que argumentos têm perante Erdogan e todos os líderes de extrema e radical direita, agora em ascensão, buscando ocupar a liderança de diversas nações? Que autoridade os Estados Unidos podem usar para defesa da democracia contra a força e o anarcopopulismo, diante do exemplo do Trump”, continuou em outro trecho.

O grupo trumpista entrou no Capitólio na quarta-feira, 6 de janeiro, para impedir a certificação do democrata eleito Joe Biden. Pouco antes da invasão, Trump fez um discurso em que insistiu que não aceitaria a derrota e incitou apoiadores a marcharem até o Congresso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.