Troca-troca de partidos altera disputa no Tocantins

Partidos do governador e do presidente da República foram os que mais cresceram no apagar das luzes da janela partidária

Sede da Assembleia Legislativa do Tocantins | Foto: Divulgação

Pelo menos 15 deputados estaduais do Tocantins trocaram de partido aproveitando a janela partidária. São eles, Valdemar Júnior, Nilton Franco e Jorge Frederico, que trocaram o MDB pelo Republicanos; Jair Faria, que também era do MDB e preferiu ingressar no União Brasil; Ricardo Ayres e Gutierres Torquato deixaram o PSB e seguiram caminhos diferentes, o último para o PDT e Ayres para o Republicanos; o Republicanos também foi a escolha dos deputados Toinho Andrade (que deixou o UB), Leo Barbosa (ex-SD), Amélio Cayres (que também deixou o SD), Cleiton Cardoso (ex-PTC) e Valderez Castelo Branco (ex-PP); Júnior Geo trocou o Pros pelo PSC; Luana Ribeiro e Olyntho Neto deixaram o PSDB e foram para PCdoB e Republicanos, respectivamente; por fim, Issan Saado trocou o PV pelo Republicanos.

Deputado Filiação antiga Novo partido
Amélio Cayres Solidariedade Republicanos
Antônio Andrade União Brasil Republicanos
Cleiton Cardoso PTC Republicanos
Gutierres Torquato PSB PDT
Issan Saado PV Republicanos
Jair Farias MDB União Brasil
Jorge Frederico MDB Republicanos
Junior Geo PROS PSC
Leo Barbosa Solidariedade Republicanos
Luana Ribeiro PSDB PC do B
Nilton Franco MDB Republicanos
Olyntho Neto PSDB Republicanos
Ricardo Ayres PSB Republicanos
Valdemar Júnior MDB Republicanos
Valderez Castelo Branco PP Republicanos

A representação do Tocantins no Congresso Nacional também teve alteração quanto a troca de partido. Quatro deputados federais e um senador mudaram de legenda. Os deputados federais que trocaram de partido foram, Vicentinho Júnior que trocou o PL pelo PP; Tiago Dimas que trocou o Solidariedade pelo Podemos, Carlos Henrique Gaguim que desistiu do Republicanos e voltou ao União Brasil e Eli Borges que trocou o Solidariedade pelo PL. Quem também se filiou ao PL foi o senador Eduardo Gomes que deixou o MDB.

Um balanço geral desta movimentação revela dois aspectos importantes. A preferência especial pelo partido do governador Wanderlei Barbosa, o Republicanos, que se transformou de uma hora para outra no maior partido do Estado com representação na Assembleia Legislativa, com 10 deputados; e o PL do presidente Jair Bolsonaro, que recebeu a filiação do pré-candidato ao governo Ronaldo Dimas e toda a chapa de pré-candidatos do Patriota.

O movimento revela ainda uma redução da base de apoio à reeleição do governador Wanderlei Barbosa que chegou a contar com 21 deputados. Alguns parlamentares que assinaram o manifesto de apoio à reeleição de Wanderlei tiveram que se filiar em partidos de oposição e que integram alianças que têm candidato próprio ao governo.

Ainda é cedo para se avaliar quem mais perdeu e quem mais ganhou com este troca-troca. O que se pode dizer com segurança é que o atual cenário criou enormes dificuldades para a reeleição dos atuais deputados. O que indica que haverá uma renovação significativa na Assembleia Legislativa.

Uma resposta para “Troca-troca de partidos altera disputa no Tocantins”

  1. Avatar Waldir Lomazzi Junior disse:

    Boa tarde, Presidente precisa de pessoas sem obrigações com partidos políticos…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.