Troca de candidatos do PCdoB pode ajudar PT a eleger Rubens Otoni

Vereadora Tatiana Lemos espera dobradinha nesta eleição: assumir mandato na Alego e eleger a mãe no rastro de Rubens Otoni

Divulgação

Rafael Oliveira

A troca de candidaturas no Partido Comunista do Brasil (PCdoB) em Goiás pretende ajudar a eleição de Rubens Otoni (PT-GO) a deputado federal em outubro. Segundo dirigentes do PT, Otoni teme não se reeleger, depois da fraca votação petista na eleição proporcional para deputados federais de 2014.

O PCdoB e o PT costuraram acordo para a chapa de deputados federais nesta eleição. Os petistas não se coligaram com outro partido em 2014 e elegeram apenas Rubens Otoni (PT), que conseguiu 115.874 votos dos 280.901 depositados no PT – quase 50% dos votos do partido.

A deputada estadual Isaura Lemos (PCdoB) pediu a troca de registro de sua candidatura à reeleição no Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE) para a sua filha, Tatiana Lemos (PCdoB), vereadora em Goiânia e que disputaria vaga na Câmara dos Deputados. A decisão data da última terça-feira (28).

A expectativa da vereadora Tatiana Lemos é reeleger Rubens Otoni e emplacar a mãe na segunda vaga da coligação. Isaura teve 17.701 votos na coligação com o PTN, PRTB, PC do B, PPL e SD e, dos 245.159 votos recebidos na chapa em 2014, ela estava no meio dos três deputados estaduais eleitos. Também em 2014, Tatiana Lemos foi candidata a deputada federal e conquistou 34.079. Apesar da votação mais expressiva que a mãe e os cenários eleitorais serem diferentes, Tatiana acredita na capilaridade de Isaura para buscar votos no restante do estado. “A Isaura está no quinto mandato de deputada estadual e viajou mais o estado que eu. Ela também tem um trabalho reconhecido no estado inteiro”, justificou Tatiana.

Na aventura solo do PT à Câmara dos Deputados na eleição passada, além de Rubens Otoni, o professor Edward Madureira (PT) obteve 58.865 votos, Olavo Noleto (PT) 35.923 e Mauro Rubem (PT) 34.124, mostrando a fragilidade do quadro petista em Goiás. A família Lemos vai encorpar as campanhas petistas majoritária e proporcionais. Mas o PCdoB também ganha espaço político nessa aliança. Tatiana tem boas chances de assumir o gabinete da mãe na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) e eleger Isaura no rastro de Rubens Otoni.

A coligação de 2014 para deputado federal, além dos comunistas, reuniu o PMDB, DEM, SD, PRTB, PTN e PPL, e obteve 569.356 votos e elegeu três parlamentares: Daniel Vilela, Rubens Otoni e Lucas Vergílio.

Tatiana Lemos não vai se licenciar do mandato na Câmara de Goiânia para disputar vaga na Alego porque consegue conciliar o exercício de vereadora e a campanha, que será estruturada na capital. “Também tenho votações importantes na Câmara para participar por causa do meu compromisso com os servidores municipais, que é o projeto de reforma do Instituto de Previdência dos Servidores Municipais”. O PT também ganha uma vaga na Câmara de Vereadores, se Tatiana conseguir se eleger, com o suplente Carlos Soares.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Rafael B

A manchete está equivocada e se contradiz com o corpo da notícia que diz que Isaura busca se eleger no “rastro” de Rubens Otoni, esta segunda assertiva bem mais coerente e conectada com a realidade.