Trabalhadores fazem protesto contra a reforma trabalhista em Goiânia

Nova legislação ntra em vigor a partir deste sábado (11)

As centrais sindicais fizeram nesta sexta-feira (10/11) atos em diversos estados pedindo a revogação de alguns pontos do texto da reforma trabalhista aprovado em julho pela Câmara e que entra em vigor a partir deste sábado (11).

Em Goiânia, o protesto foi na Praça do Bandeirante, no Centro. Representantes de diversas entidades sindicais participaram da mobilização.

O principal protesto no Rio de Janeiro ocorreu no fim da tarde e teve a concentração na Igreja da Candelária, para depois seguir pela Avenida Rio Branco até a Cinelândia. Manifestantes ligados a centrais sindicais, associações profissionais, sindicatos, trabalhadores e estudantes organizaram uma passeata contra as reformas econômicas em curso no governo do presidente Michel Temer.

Em outras capitais, o protesto ocorreu na parte da manhã. Em São Paulo, alguns milhares de trabalhadores estiveram na Praça da Sé, no centro da cidade. Os manifestantes carregavam bandeiras, acompanhados por carros de som e balões coloridos.

“Nós queremos construir alguma coisa que seja equilibrada. Essa reforma é essencialmente empresarial, 117 artigos da cartilha empresarial. Nada contra os empresários, mas não tem nenhum artigo que tenha um foco social ou olhar sindical”, criticou o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah.

Em Brasília, cerca de 150 pessoas, segundo a Polícia Militar (PM), participaram de uma manifestação organizada pela CUT no Espaço do Servidor da Esplanada dos Ministérios pela manhã. Tanto a PM como os organizadores classificaram o movimento como pacífico. (Com Agência Brasil)

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.