“Não estamos sendo pressionados ou chantageados por nosso empregador, apenas reivindicamos nosso direito de trabalhar manifestando a incerteza de permanecemos com nosso emprego”, diz um trecho do documento encaminhado à prefeitura

Foto: Reprodução/Goiás Agora

Colaboradores das empresas do ramo hoteleiro e meios de turismo em geral da cidade de Pirenópolis/GO encaminharam um documento à prefeitura da cidade solicitando a assinatura de um decreto que prevê a reabertura das atividades para o dia 1º de Julho de 2020. O mesmo, segundo o documento, se estenderia não só ao ramo hoteleiro, mas também a outras atividades econômicas como bares e restaurantes.

A revindicação coletiva destaca que, caso acatado o pedido, todos se comprometem a seguir os padrões operacionais e protocolos de segurança sanitário no contexto de prevenção à disseminação da pandemia da Covid-19. “Tais medidas, inclusive já foram apresentadas (via protocolo de reabertura) a Vossa Excelência em reunião com representantes do Trade Turístico”, diz um trecho do documento encaminhado ao prefeito.

“Tendo em vista as ações governamentais apresentadas na MP 936/20, que rege a suspensão de contratos de trabalho por até 60 dias e redução na jornada de trabalho por até 90 dias, nós colaboradores, entendemos que após findar nosso contrato de trabalho conforme MP (em uma das modalidades acima citadas), ou mesmo já tenhamos nosso contrato de trabalho quebrado, os empregadores infelizmente começarão a fazer demissões em massa com a simples finalidade de evitar falência de suas empresas, cujas mesmas já somam mais 88 dias de suspensão das atividades”, ressalta o documento.

Em outro ponto, os trabalhadores dizem que estão, com isso, revindicando a vontade de trabalhar, de fazer com que as empresas não fechem suas portas deixando centenas de pessoas desempregadas, estas ligadas diretamente ao turismo, mas também outras milhares de pessoas que dependem do turismo indiretamente, evitando assim um rombo ainda maior na economia.

“Nós colaboradores, juntamente com os empresários dos setores do Trade Turístico de Pirenópolis, entendemos que após todos os treinamentos específicos na utilização dos EPI´s descritos na Nota Técnica 002, elaborado juntamente com os Protocolos e com as empresas se dispondo a fazer os testes em todos colaboradores, poderemos voltar aos trabalhos, de forma adequada e segura. Informamos ainda que não estamos sendo pressionados ou chantageados por nosso empregador, apenas reivindicamos nosso direito de trabalhar manifestando a incerteza de permanecemos com nosso emprego”, pontua.