Trabalhadores do Hugo ameaçam paralisação por salário atrasado

Enfermeiros e técnicos em enfermagem vinculados ao Instituto Haver aguardam prazo dado pelo secretário para repasse à OS

Foto: divulgação

Os trabalhadores do Hospital Estadual de Urgências de Goiânia Valdemiro da Cruz (Hugo) estão mobilizados desde quarta-feira, 9, para cobrar os salários atrasados dos funcionários vinculados à Organização Social Instituto Haver.

Segundo o técnico de enfermagem, Júlio César Gonçalves, a categoria vai esperar até o dia 15, que foi o prazo que o secretário de Saúde, Ismael Alexandrino, deu para que o repasse seja feito à OS e, então, os salários sejam pagos.

Após essa data, caso essa promessa não seja cumprida, os trabalhadores pretendem paralisar suas atividades e deixar apenas 30% do hospital funcionando. “A situação é absurda, nem o vale transporte foi depositado, estamos sem salário, décimo terceiro e férias”, afirma.

Outros funcionários, que preferiram não se identificar, relatam, ainda, que a organização estaria cometendo assédio moral contra os empregados, chamando-os para conversar e sugerindo que quem não está satisfeito “dê seu jeitinho”.

O Jornal Opção entrou em contato com o Instituto Haver, que esclareceu que o repasse é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e, portanto, a empresa não teria nada a declarar. Em relação aos relatos de assédio a organização disse que se posicionaria por meio de nota.

Na resposta, o  Instituto Haver afirmou que a empresa destaca como um de seus princípios o “bom relacionamento com todos os colaboradores”. Confira a nota na íntegra:

“Esclarecemos, ainda, que o Instituto Haver recebeu a primeira manifestação de suposto assédio moral no dia 2 de janeiro deste ano, e que, desde então, tem apurado, sistemática e compulsoriamente, a situação e orientado os setores responsáveis para que as devidas providências de esclarecimento e resolução de conflitos sejam tomadas.

É de interesse primordial da instituição que o bom funcionamento de todos os setores seja um pilar do bom atendimento para o povo goiano, e para isso, reuniões frequentes vêm sendo realizadas com colaboradores e coordenadores, equacionando soluções para o cumprimento das demandas diárias da unidade, enfim na busca contínua do benefício assistencial e social.

A Presidência do Instituto Haver e a Diretoria Administrativa do Hugo reforçam que sempre deixaram e deixarão as portas abertas, com acesso por agendamento, ao diálogo direto e respeitoso com todos os colaboradores no sentido de promover os esclarecimentos a benefício da verdade e do bom cumprimento da missão do hospital de maior tradição no estado de Goiás.”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.