Um homem e um menor de idade ligados à torcida organizada do Vila Nova, o Esquadrão Vilanovense, foram alvo de operação da Polícia Civil (PC) neste domingo, 23, momentos antes do clássico entre o Tigre e o Goiás. Autodenominados “3º Comando Campos Dourado”, a dupla é investigada por espancar e roubar as vestimentas de um membro da Força Jovem em março deste ano, na semifinal do Campeonato Goiano.

LEIA TAMBÉM

Embate entre Esquadrão Vilanovense e Força Jovem do Goiás termina com três presos e cinco baleados

Membros da Força Jovem e Esquadrão Vilanovense são alvo de operação por ataques e emboscadas

A vítima, na época do crime, precisou ser hospitalizada devido aos ferimentos na região da cabeça provocados pela agressão com pedaços de madeira. As roupas roubadas pela dupla foram expostas nas redes sociais como uma espécie de troféu.

“A investigações começaram a partir de uma emboscada realizada por membros desta torcida. As investigações apontavam uma possível nova empreitada criminosa durante o clássico, razão pela qual antecipamos a operação policial”, explicou o delegado Samuel Moura. 

Ao todo, de acordo com o delegado, foi cumprido um mandado de prisão contra o torcedor responsável por desferir pauladas na vítima e dois mandados de busca e apreensão na residência dos investigados, além da apreensão do menor. Segundo a PC, as ordens judiciais foram realizadas durante os deslocamentos das torcidas organizadas para clássico no estádio Onésio Brasileiro Alvarenga (OBA).

“Foram identificados mais integrantes deste grupo envolvidos nesta e em outras ações. As investigações continuam com o objetivo de identificar e antecipar novos ataques”, afirmou Samuel.

Os membros da Esquadrão são investigados por associação criminosa, roubo majorado pelo concurso de pessoas e emprego de arma branca, lesão corporal e corrupção de menor. As penas, se somadas, podem chegar a 33 anos de prisão.