TJ anula decreto que qualificou entidade como organização social

Segundo ação proposta pelo MP, Ibraceds não possui capacidade profissional e vários de seus dirigentes são considerados inidôneos. Entidade entrará com recurso

Inauguração do Itego de Santo Antônio do Descoberto Foto: Reprodução

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) reconheceu a nulidade do Decreto nº 8.447/2015, que qualificou o Instituto Brasileiro de Cultura, Educação, Desporto e Saúde (Ibraceds) como organização social.

Por unanimidade de votos, a 2ª Turma Julgadora da 5ª Câmara Cível do TJGO seguiu o voto do relator, o juiz substituto em segundo grau, Maurício Porfírio Rosa, no qual foi apontado estar descrito na Lei Estadual nº 15.503/2005 (Lei das OSs), que a entidade privada, para que seja qualificada como organização social, deverá comprovar, no momento de seu pedido de qualificação, a sua capacidade técnica, notória capacidade profissional e idoneidade moral. Assim, foi esclarecido não há que se falar em postergação da análise desses requisitos, para o momento da celebração do contrato de gestão.

Entenda

Em ação proposta pelo promotor de Justiça de Fernando Krebs, em julho de 2017, ele sustentou que, apesar de o Estado de Goiás ter qualificado o Ibraceds como organização social de educação cultura e saúde, a entidade não possui capacidade profissional e vários de seus dirigentes são considerados inidôneos. Ocorre que, em decisão de primeiro grau, o magistrado entendeu que não se verificava a ocorrência de vícios no processo de qualificação do Ibraceds de forma a acarretar a nulidade do decreto.

Em seguida, o MP-GO interpôs recurso de apelação cível e apresentou ainda parecer da procuradora de Justiça Eliete Suavinha. Ao analisar a argumentação do MP, Maurício Porfírio afirmou que “a Administração Pública está adstrita ao princípio da legalidade, de modo que só poderá fazer aquilo que a lei determina, não possuindo margem discricionária ampla, de modo que, inexistindo, nos autos, provas de que o Ibraceds passou por todas as etapas para que fosse qualificado como organização social, assim o decreto que o qualificou padece de nulidade.

O Ibraceds é responsável pela gestão do Instituto Tecnológico de Goiás (Itego), nas unidades de Cristalina, Porangatu, Santo Antônio do Descoberto, Formosa, e Cotecs vinculados.

O que diz a entidade

O presidente do Ibraceds, Antônio Almeida, afirmou ao Jornal Opção que a entidade ainda não foi notificada, mas garante que entrará com recurso  contra a anulação da qualificação como OS. “Acreditamos que a justiça seja feita, estamos trabalhando e cumprindo metas em 28 municípios. Estamos fazendo o bem à sociedade”, disse.

Sobre os apontamentos feitos pelo promotor Krebs, o presidente da organização social pondera que isso já havia sido esclarecido. “O juiz já respondeu isso em todas as vírgulas, estamos tranquilos, foi um equívoco. Vamos continuar trabalhando”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.