Thialu afirma que o interesse é permanecer no parlamento. Mas não deve “fugir de um convite”

Segundo o vereador, todo o primeiro, segundo e terceiro escalão da prefeitura haviam sido nomeados pelo Daniel Vilela. “Rogério ficou sem mobilidade política. Sem a autorização de Daniel, o ex- secretário de Governo, Andrey Azerado, não mandava dar publicação”.

Após debandada de 14 secretários ligados ao grupo de Daniel Vilela (MDB) da gestão do prefeito Rogério Cruz (Republicanos), as articulações para ocupar os cargos no Paço estão em curso. O vereador Thialu Guiotti (Avante) pode assumir a secretaria de Cultura ou Inovação, Ciências e Tecnologia. O cargo foi desocupado segunda-feira, 05,  por Célio Campos, que assinou a carta de ex-secretários da prefeitura indicados pelo MDB.

Thialu  Guiotti afirma que foi procurado pelos vereadores e por outros grupos políticos. Mas, segundo ele, o interesse é permanecer no parlamento. “Eu acho que eu consigo continuar ajudando Goiânia no meu cargo de vereador”. No entanto, Thialu não deve recusar o cargo, se o aceno for oficializado pelo prefeito.

“Se for um projeto de governo para que exista uma melhoria naquela determinada pasta eu não vou fugir de um convite como esse”. Até o momento não houve diálogo oficial com o Paço. “São conversas dos bastidores políticos. Eu não recebi nenhum convite de ninguém ligado diretamente ao Paço ou mesmo o prefeito”, pontua o vereador.

O parlamentar destaca que, apesar de ter sido sondado especificamente pelo vereador Anselmo Pereira (MDB), a indicação para assumir o cargo não tem nada específico a ver com o MDB. “Eu não vejo isso como um fortalecimento do do MDB . Até porque o Avante não tem nenhuma ligação com o MDB”.

Ruptura do MDB

Para Thialu, a relação entre o MDB e o Republicanos tiveram acertos e erros das duas partes. Segundo o vereador, todo o primeiro, segundo e terceiro escalão da prefeitura haviam sido nomeados pelo Daniel Vilela. “Rogério ficou sem mobilidade política até mesmo para nomear alguns cargos do terceiro escalão. Sem a autorização de Daniel, o ex- secretário de Governo Andrey Azerado não mandava dar publicação. Faltou um pouco maturidade, principalmente por parte do MDB”.

Sigla partidária

Nas eleições de 2020, o Avante obteve cerca de 23 mil na capital e conseguiu eleger dois vereadores. Thialu Guiotti e Geverson Abel. “Tivemos quase 100 mil votos em todo o estado de Goiás. Uma votação muito representativa. Somos um partido que tem fundo partidário e tempo de TV. Isso torna importante para qualquer administração“, destaca Guiotti.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.