Texto-base que aumenta salário mínimo para R$ 1.100 é aprovado na Câmara dos Deputados

Matéria segue para aprovação no Senado; com o documento, a alta prevista é de 5,26%, porcentagem que corresponde ao valor de R$ 55 a mais que o do ano passado, R$ 1.045

Texto-base que aumenta salário mínimo para R$ 1.100 é aprovado na Câmara dos Deputados. | Foto: Câmara dos Deputados

Foi aprovado na Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira, 26, o texto-base da Medida Provisória (MP) que tem como objetivo fixar o salário-mínimo no valor de R$ 1.100. A MP prevê um aumento de 5,26%, porcentagem que corresponde ao valor de R$ 55 a mais que o do ano passado (R$ 1.045). Após ser aprovada na Câmara, a matéria será direcionada para votação no Senado.

Apesar de a proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) sugerir um mínimo de R$ 1.088, o valor proposto pelo governo para 2021 corresponde a uma variação de 5,22% para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que apura a inflação mensal das famílias com renda de um a cinco salários-mínimos, no período de janeiro a dezembro de 2020. No entanto, como os preços aumentaram devido à crise sanitárias, as projeções foram alteradas.

Com o novo valor, segundo cálculos do Ministério da Economia, o impacto líquido de cada R$ 1 somado ao salário-mínimo será de R$ 315,4 milhões nas contas do governo federal. Os R$ 55 a mais, por exemplo, significam impacto de R$ 17,3 bilhões.

O valor sugerido, apesar de ser maior que o previsto, não agradou alguns dos parlamentares, por não contemplar a inflação gerada pela pandemia.  À Agência Brasil, o deputado Tadeu Alencar (PSB-PR), disse que mesmo que qualquer aumento seja válido, subir apenas 5% não contempla o descontrole da inflação, a alta do desemprego e a insegurança alimentar que permeia a vida da população. Já deputados governistas defenderam o Governo, e afirmaram que o respectivo aumento foi o máximo que o presidente da República, Jair Bolsonaro, pôde conceder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.