Duas empresas do transporte coletivo da Capital realizam testes com ônibus elétricos desde a primeira semana de junho. Os dois primeiros veículos foram utilizados para fazer a locomoção dos passageiros que se deslocavam para a Campus Party 2023.

Os testes estão sendo feitos na linha 025 , que liga o Terminal Bandeiras/Via T-63/ ao Terminal Isidória. O maior festival de tecnologia , empreendedorismo e ciência do país teve como tema central o transporte e mobilidade urbana.

Ponto de embarque da linha 025 do Terminal Bandeiras | Foto: Raphael Bezerra/Jornal Opção

A reportagem foi até o Terminal Bandeiras para experimentar o veículo, mas os ônibus foram recolhidos às 15h da tarde devido a um jogo de futebol. “Para preservar os veículos”, disse um motorista da linha.

Gabriel Henriquerson Pacheco teve a oportunidade de fazer duas viagens com o ônibus elétrico. Ele aponta as vantagens do veículo. “É um ônibus muito bom, novo, conservado e não faz barulho”, comenta. Pacheco aponta ainda que os ônibus são espaçosos e que a novidade pode ser muito boa para o usuários e para o meio ambiente.

Na avaliação do rapaz, a troca da frota pode melhorar consideravelmente o transporte público na Capital. “O transporte público em si, sem esses novos ônibus, eu dou uma nota 5. Com esses ônibus e as melhorias que tem que vir, vai beirar a nota 10”, pontua.

Usuários do transporte coletivo no Terminal Bandeiras | Foto: Raphael Bezerra/Jornal Opção

Outro usuário que aguardava a chegada de um veículo na plataforma do Bandeiras ainda não teve a chance de andar no novo veículo. “É igual cocô de índio, todo mundo fala que existe mas ninguém nunca viu”, brinca um senhor que preferiu não conceder entrevista.

Apesar da crítica, ele tem esperança que a chegada da frota elétrica melhore o sistema de transporte na Região Metropolitana. “Acho que já melhorou muito a segurança nos terminais, especialmente os mais novos. Mas é necessário uma atualização dos veículos”.

Eletrificação da frota

Em fevereiro, o governo estadual publicou um edital para a substituição da frota dos veículos que circulam na linha do Eixo Anhanguera. O documento definiu critérios para aluguel de 114 ônibus articulados 100% elétricos, que vão modernizar e dar mais qualidade ao transporte coletivo do principal corredor de mobilidade da capital e suas extensões – Goianira, Senador Canedo e Trindade.

O valor máximo global estimado em R$ 1.542.576.052,16, ao longo de 16 anos de contrato, com valor mensal estimado em R$ 74.820,59 por ônibus, incluindo manutenção da frota, locação dos carregadores e adaptação da infraestrutura de carregamento dos ônibus. A composição dos valores estimados utilizou dados do mercado, de custos de manutenção da frota, tributos, pesquisa de campo, dados de fabricantes e dados colhidos no Procedimento de Manifestação de Interesse PMI.