Teste rápido não é tão preciso para detectar ômicron, diz FDA

Mesmo com esse resultado, o órgão irá manter a autorização para o uso dos testes rápidos

Agência norte-americana Food and Drug Administration (FDA) anunciou, na última terça-feira, 28, que testes rápidos para diagnosticar a Covid-19 não são tão precisos para detectar a variante ômicron. Não foi explicado, no entanto, o motivo de esses exames possuírem uma menor sensibilidade.

De acordo com informações divulgadas pela AFP, a FDA explica que a ômicron até pode ser detectada pelos testes rápidos, mas com uma sensibilidade (medida que estima as chances de apresentar resultado positivo) menor. Ainda com esse resultado, o órgão irá manter a autorização para o uso dos testes rápidos.

A agência ainda afirmou que está colaborando com o Instituto Nacional de Saúde (NIH, sigla em inglês) na busca de analisar o desempenho desses exames no diagnóstico da nova variante através de amostras de pacientes detectados com a nova cepa.

Na última quarta-feira, 22, a FDA chegou a autorizar o uso do medicamento emergencial da Pfizer para tratar pacientes contaminados com o coronavírus.A pílula da Pfizer, chamada Paxlovid, é um antiviral que bloqueia a enzima que o coronavírus precisa para conseguir se replicar no corpo humano, de modo a reduzir o impacto da Covid-19 no organismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.