Detentos diagnosticados com a doença seguem monitorados pela Gerência de Assistência Biopsicossocial da instituição. Infectados continuam isolados e não tiveram contato com demais custodiados do estabelecimento penal

Foto: Reprodução

Em ação de combate à disseminação do coronavírus (Covid-19) entre a população carcerária da Penitenciária Coronel Odenir Guimarães (POG), unidade localizada no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) reforça que continuará, ao longo desta semana, a triagem dos custodiados.

A intenção é verificar os casos suspeitos de contaminação pela doença. A ação foi planejada pelo Comitê de Gerenciamento de Crise da DGAP no Enfrentamento ao Coronavírus e segue em execução por equipe de saúde coordenada pela Gerência de Assistência Biopsicossocial (Geab) da instituição. Na próxima segunda-feira, 15, além da triagem, será retomada a testagem rápida entre os custodiados. Os trabalhos na POG já duram uma semana.

Segundo o gerente da Geab, Sandro Souza e Silva, desde a última segunda-feira, 8, quase 200 testes rápidos já foram realizados em presos da POG, dos quais nove testaram positivos para a doença. Segundo ele, esses presos já se encontravam isolados da população carcerária, visto que tiveram contato com outro detento diagnosticado com Covid-19.

Esses presos estavam isolados em conjunto, a partir da triagem na unidade prisional, procedimento primário adotado em todos as penitenciárias goianas, antes da inserção junto à população carcerária geral da unidade.

“Ao todo, 17 presos da POG já foram diagnosticados com a doença. O custodiado do caso inicial precisou de tratamento em uma unidade hospitalar fora do sistema prisional. Ele já teve alta médica e se encontra curado”, conta o gerente.

“Os presos diagnosticados com o vírus ficam isolados na enfermaria da unidade prisional e são monitorados por equipe de saúde da Geab. Casos de urgência, se vierem a ocorrer, serão encaminhados para o devido atendimento hospitalar”, completa.

A ação de triagem e testagem da população carcerária da POG foi determinada ao Comitê pelo diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Agnaldo Augusto da Cruz. “A ação segue protocolo de saúde para evitar a disseminação da Covid-19 e segue diretrizes do plano de ação do Governo de Goiás para contenção da doença”, destaca o diretor.

Testagem geral

A ação preventiva, após conclusão na POG, segue com o mesmo protocolo de execução às demais unidades do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia e, em seguida, aos estabelecimentos penais do interior do Estado.

“O cronograma de triagem e testagem de presos está sendo elaborado pelo Comitê, de forma estratégica, para combater a propagação do novo coronavírus”, ressalta o gerente. Os testes rápidos , de acordo com Silva, foram disponibilizados pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

A testagem rápida em servidores penitenciários também já foi iniciada. Na última semana, a ação foi realizada com servidores de Formosa (Casa de Prisão Provisória, Unidade Prisional Regional e Presídio Estadual), e nesta semana com alguns servidores do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.