A Secretaria do Tesouro Nacional (STN) emitiu, nessa sexta-feira, 10, o parecer técnico favorável para que a Prefeitura de Aparecida de Goiânia receba o empréstimo de 120 milhões de dólares (cerca 590 milhões de reais, conforme cotação de hoje) do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), também conhecido como Banco do Brics. A informação foi confirmada ao Jornal Opção pelo secretário da Fazenda aparecidense, Einstein Paniago.

A operação tem o valor total de 150 milhões de dólares, com 30 milhões sendo a contrapartida.

LEIA TAMBÉM

Aparecida de Goiânia vai ao Planalto buscar recursos para infraestrutura

Prefeitura de Aparecida faz empréstimo de R$ 10 milhões para construir nova sede para a Câmara Municipal

Agora, o pedido de empréstimo segue para conferência da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e, posteriormente, deve ser também aprovado pelo ministro da pasta Fernando Haddad. Com o aval do ministro, o documento será encaminhado à Casa Civil e, por fim, à Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal (CAE).

Conforme apurado pelo Jornal Opção, o presidente da CAE, senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO), já sinalizou que o empréstimo para o município goiano deve ser aprovado na Comissão. O montante deve ser liberado pelo banco presidido pela ex-presidente da República, Dilma Rousseff, ainda este ano.

Com o valor milionário, a segunda maior cidade de Goiás pretende zerar o déficit de infraestrutura do município. O projeto, inclusive, era um dos desejos do ex-governador de Goiás, Maguito Vilela, que faleceu em 2021 após se eleger prefeito de Goiânia. 

A quantia, segundo a prefeitura da cidade, será utilizada para realizar obras nos viadutos na BR-153, como o elevado da Avenida Bela Vista, no limite de Aparecida e Goiânia, que desafogaria o trevo do Parque das Laranjeiras. Um elevado na altura do Centro de Aparecida e outros dois no Anel Viário também devem ser construídos.

O município pretende ainda construir quatro parques ambientais, 15 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEI’s), além de asfaltar ruas habitats e implementar bueiros e pontes pela cidade.