Terceiro suspeito de homofobia teve mesmo grau de participação, afirma delegado após depoimento

Homem alega não ter participado dos atos de injúria, mas delegado aponta evidências de envolvimento com ato criminoso

Foto: reprodução

O terceiro suspeito de praticar o crime de injúria racial (homofobia), contra um jovem de 24 anos, no dia 6 de julho, em Goiânia, foi ouvido nesta quinta-feira pelo delegado responsável pelo caso.

Segundo o delegado Carlos Caetano, do 4º DP de Goiânia, o suspeito negou participação no crime e afirmou não ter se quer escutado os outros dois acusados proferindo ofensas contra a vítima. Apesar da tese de defesa, Carlos Caetano afirma que o registro em vídeo mostra o suspeito ao fundo, o que enfraqueceria a tese de desconhecimento apresentado pela defesa.

A denúncia apresentada pela vítima indica que os três homens o seguiu fazendo sequencia de ofensas. Imagens registradas por uma câmera de segurança mostram o momento em que um dos agressores disfere um murro nos rosto da vítima, que corre.

Dois dos três acusados, Caio César Rodrigues Sampaio e Lucas Vilela Martins, ambos estudantes de Educação Física, seguem presos desde a quarta-feira, 17, e segundo informações do delegado devem ser liberados para responder em liberdade até a próxima segunda-feira. O terceiro homem não teve pedido de prisão realizado, isso porque, segundo o delegado, não foi interpretado como necessário, mas responderá pelo crime, podendo pegar detenção caso condenado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.