Para o deputado, mesmo com baixo efetivo, vai aumentar a produtividade do policial civil, militar, bombeiros e agentes prisionais

[relacionadas artigos=”165727″]

Com aprovação e sanção da extinção do cargo de soldados de 3ª classe e promoção imediata para a 2ª em março, os profissionais da segurança (policiais civis e militares, além de bombeiros e agentes prisionais) receberão em maio, o segundo salário de R$ 5.767 na folha. Para o deputado delegado Humberto Teófilo (PSL), esta foi “uma das maiores conquistas da segurança pública”.

“Esta extinção motiva o profissional a trabalhar mais. Com certeza a produtividade irá aumentar, mesmo com baixo efetivo, tanto do policial civil, militar, bombeiros e agentes prisionais”.

Da mesma forma, o deputado delegado Eduardo Prado (PV) diz que essa promoção é uma vitória imensurável para o Estado. “Essa valorização representa motivação”, diz ele.

Pauta antiga

Segundo Prado, como vereador e também supervisor da Polícia Civil e delegado, ele já lutava para conseguir essa extinção. “Já ouvia os reclames que o salário no interior não pagava nem o aluguel, sem o apoio das prefeituras”.

Ele elucida que esteve com o governador Caiado no início do ano e fez questão de reforçar o pedido para que a promessa de companha fosse cumprida. “Pelo bem da segurança pública de Goiás”, afirma.

O impacto orçamentário e financeiro, segundo cálculos do governo estadual, deve ser superior a R$ 140 milhões.